Política local 15/12/2009

“Certos políticos brasileiros confundem a vida pública com a privada”.

Aparício Torelli, “Barão de Itararé”.

Índices negativos
Os atuais índices de casos de dengue, na Capital, são os mesmos de dezembro do ano passado: altos e preocupantes. O reconhecimento é do assessor de imprensa da PMRB, Oly Duarte. Nesta batida vamos repetir a epidemia de 2008, com vítimas fatais.

 O pior está para vir
É de se ressaltar que o inverno nem chegou ao seu ponto crítico.

Cobrar ação
É o momento do prefeito Angelim, que faz uma boa gestão, chamar o secretário de Saúde, Pascal Khalil, para dar explicações, sobre o fracasso na reversão da dengue.

Ter retorno
A PMRB tem investido muito no combate à dengue e nada de retorno positivo.

Situar a verdade
Estas 10 mil casas populares prometidas pela parceria CEF-Governo do Estado não se trata de nenhum favor: quem se habilitar a ter uma delas terá que pagar pelos imóveis.

Perde a casa
E quem não pagar as mensalidades terá a casa retomada pela CEF, que fique claro.

Sem ilusões
Vende-se uma ilusão como se fosse uma doação, o que não é.

Ser candidato, como?
Um cardeal tucano lúcido dizia ontem que a candidatura de Tião Bocalom (PSDB) ao governo, não decola, por dois motivos: é liso, e a direção nacional do PSDB não quer.

Prioridade definida
Segundo ainda este tucano, a executiva nacional do PSDB vai investir apenas no nome a ser escolhido para disputar a segunda vaga para o Senado, que virá de uma pesquisa.

Não tem chapa
O PMDB passa a idéia que tem chapa para a Câmara Federal, mas é o puro jogo de cena. Vai pôr todas suas fichas na aliança com o PSDB para formarem um chapão.

Figura solitária
De concreto o PMDB só tem o Flaviano Melo como candidato a deputado federal.

Meta única
Fazer de Rodrigo Pinto (PMDB) a candidatura única da oposição e ter Márcio Bittar (PSDB) como candidato ao Senado é o grande sonho peemedebista para 2010.

Muito difícil
Com brigas pipocando no PPS, PSDB, esta unidade não será um parto fácil.

Ferrugem avançando
Com a queda do boom do álcool no mercado a coisa vai ficar preta para a Álcool Verde, cuja usina enferruja, brecada pelo festival de entraves ambientais vindos do Governo.

Todo mundo refuga
Por isso é que os grandes empresários de fora refugam em investir no Acre.

Enquanto permanecer
O deputado federal Sérgio Petecão (PMN) diz que enquanto Tião Bocalom (PSDB) tiver seu nome posto é o seu candidato ao governo.

Passar longe
Sobre a escolha do nome ao Senado da oposição fala que o melhor nome é do Márcio Bittar, mas ressalva que não se mete, por ser essa uma questão interna do PSDB.

Até na oposição
O senador Tião Viana (PT) é reconhecido até entre os principais dirigentes dos partidos da oposição ser o favorito para ganhar o governo em 2010.

Retardar a derrota
O ex-deputado federal Osmir Lima (PTB) tem uma tese sobre um segundo turno para as oposições: “se acontecer, isso será só uma forma de transferir a data da derrota”.

Pegar experiência
Osmir considera que o PMDB está certo em apostar na candidatura de Rodrigo Pinto (PMDB) ao governo: “é quase certo que não ganha, mas é um investimento no futuro”.

Cara não ajuda
A cada pesquisa se mantém grande a distância favorável ao governador José Serra sobre Dilma Rousseff: a carranca de sargentona da petista não ajuda.

Não transfere
O presidente Lula, com uma aceitação excepcional não consegue transferir votos.

Exemplo regional
No Acre, também temos um exemplo similar. Orleir Cameli, em Cruzeiro do Sul, é um líder incontestável, mas o seu poder de transferência de votos é nulo.

Ano fechando
A Aleac encerra esta semana as atividades do ano. Não produziu nada de excepcional, como diferencial das outras legislaturas. Na FPA, o líder do governo, deputado Moisés Diniz (PCdoB) se saiu bem, respondeu as críticas, num estilo duro, mas elegante. E na oposição o destaque foi o deputado Luiz Calixto (PSL): só denunciou documentado.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation