Política nacional 01/12/2009

“Nós queremos, primeiro, uma CPI”.

Cristovam Buarque (PDT-DF), sobre o apoio do seu partido ao impeachment de Arruda.

DF: Arruda admite que Durval o chantageava
O governador do DF, José Roberto Arruda (DEM), admitiu a esta coluna ter sido chantageado pelo ex-secretário Durval Barbosa, mas negou chantagem direta “ou o teria demitido sumariamente”. Disse ter tido apenas “notícia” da ameaça de Barbosa de divulgar os vídeos. Mas, à PF, Durval disse que ouviu de Arruda que se fosse revelar os vídeos deveria “avisar antes” para o governador “sair do país ou se matar”.

 Ajudinha
O ex-auxiliar queria o empenho de Arruda para livrá-lo de condenações na Justiça por malfeitorias no governo de Joaquim Roriz (PSC).

Sessões privê
Joaquim Roriz vinha convidando amigos e empresários para sessões de DVD em sua casa, mostrando Arruda e aliados recebendo dinheiro.

Seletivo
Durval Barbosa não entregou à polícia vídeos com amigos próximos, no governo do DF. Não os gravou ou guarda uma munição de reserva.

Recepção cara
O Ministério do Trabalho vai gastar cerca de R$ 4 milhões para renovar os contratos das recepcionistas terceirizadas pelo próximo ano.

População de Brasília…
Estrelas dos vídeos da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, os deputados Junior Brunelli e Leonardo Prudente foram almoçar ontem em um restaurante chinês, na 103 Sul, em Brasília. Clientes começaram a xingá-los até que o clima ficou tão ruim que tiveram de ir embora. Prudente é o presidente da Câmara, que encheu as meias de dinheiro e Brunelli foi quem ‘orou’ pelo bem de Durval Barbosa, delator do esquema.

Emergencial
Assessores e secretários foram convocados para uma reunião de emergência com o governador do DF, José Roberto Arruda, no domingo.

Nossa grana
Nos próximos doze meses, a Brigada de Incêndio do Senado Federal vai custar ao contribuinte mais de R$ 73 mil.

Mistério
O Ministério de Ciência e Tecnologia não soube informar quanto vai custar o passeio de dois servidores a Pretória, na África do Sul, no dia 6.

Adiantado
O inquérito da operação que investiga o suposto mensalão do governo do DF vazou há mais de um mês. Advogados do governador José Roberto Arruda (DEM) pediram acesso ao processo, mas foi negado. O vazamento das informações adiantou a realização da operação da PF.

Encalacrado
O secretário-geral da CNBB e bispo auxiliar de São Sebastião do Rio de Janeiro, dom Dimas Lara Barbosa, não vê com boa esperança o futuro do governador José Roberto Arruda (DEM) após a série de denúncias apresentadas contra ele e boa parte do seu secretariado.

Frente prepara…
Em uma nova tentativa de aprovar medidas anticorrupção, a Frente Parlamentar de Combate à Corrupção vai realizar no dia 9 um encontro para listar os principais projetos que deverão ser votados em 2010.

…lista anticorrupção
Existem 66 “propostas anticorrupção” na Câmara dos Deputados, com 13 matérias que só precisam de votação. A maioria trata do trâmite de processos contra políticos e cobra mais transparência à gestão pública.

Frustração
O presidenciável Ciro Gomes (PSB) não se conforma com o fato de o seu partido negar legenda para sua candidatura presiden-cial. Falta pouco para “verbalizar” todo seu ressentimento.

Militares
A Câmara dos Deputados vai analisar ainda este ano um projeto que prevê a militares portadores de esclerose múltipla o direito à aposentadoria com direito ao soldo do posto hierárquico superior.

A volta do ‘gatão’
Gilberto Griebler, ex-secretário de Comunicação da Paraíba, deve emplacar a presidência da Companhia Paranaense de Energia Elétrica no início de 2010. É ele quem o governador Roberto Requião chama de “Gatão”, não pela beleza, mas por outros motivos. Hum.

À direita
O povo suíço aprovou, em referendo, um alteração à Constituição que proíbe a construção de minaretes, aquelas pequenas torres sobre as mesquitas muçulmanas, que chamam a reza. A Suí-ça é o primeiro país europeu a ter uma lei federal contra a religião muçulmana.

Pensando bem…
…depois da estrela, da cueca e da mala, o novo símbolo do PT é um rolo de papel higiênico.

PODER SEM PUDOR

Por dois votos apenas?

Em viagem ao Japão com a mulher, em plena campanha eleitoral de 1990, o jurista Dalmo de Abreu Dallari acabou impedido de retornar a tempo de votar no filho, vereador Pedro Dallari (PT) candidato a deputado estadual, em São Paulo. Telefonou-lhe explicando o impedimento, e o filho brincou:?
– Tudo bem, pai. Mas se eu não for eleito por dois votos, é melhor o senhor arrumar uma boa universidade em Osaka para ser reitor…

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation