FÉ EM DEUS E O BISPO PRELADO

– Fé em Deus, você precisa conhecer melhor a Palavra do Senhor! Eu vou te presentear com uma Bíblia.

Dias depois, Dom Moacir Grechi  riscou na redação da Folha do Acre. Trazia um bonito exemplar da Bíblia na Linguagem de Hoje, cumprindo o seu ” Ide”, como um je-suíta catequizando índio, doido para converter os caminhos do jornalista Pheyndews Carvalho, o Fé em Deus.

– Pegue, meu filho. Aproveite! E vazou.

As redações nunca foram conventos nem mosteiros, e, se nelas algum voto há, não costuma ser De Castidade, e esses profissionais só vivem clausura quando dão de cara com processos judiciais da parte de seus algozes, os coronéis das circunstâncias. Fé – como era conhecido – grande profissional, amigo, engraçado e …jornalista, gostava mais de outras práticas, digamos, pagãs, como vez por outra apertar algum “capitão” com os colegas de redação, no tempo em que Jornalismo era romântico e que “dar nas coisas” não tinha o mesmo significado de usar droga como hoje, que se relaciona logo à violência e à criminalidade. Em redação de jornal acontecia de tudo.

E o Bispo Prelado do Acre e Purus transitava sem constrangimento ou farisaísmo entre os “pecadores”, a ponto de, em certa viagem que fez, ter- se encontrado com um Pastor da renomada Igreja Assembléia de Deus, vindo de Cuiabá a Rio Branco, com quem  levou as horas de vôo a discutir futebol.

Uma semana depois, encontrou o pastor no saguão da Tv Gazeta, e, fervoroso torcedor do Vasco da Gama (Deus o perdoe!), e, após narrar o encontro com o homem de Deus, foi abarcando:

– Meninos, eu e o Pastor finalmente chegamos a uma convergência teológica: os filisteus eram flamenguistas!

E a matança correu solta entre os repórteres.

Enquanto isso, Fé em Deus “aproveitava” a Bíblia recebida, toda em folhas de fino papelim, com que queimava aqui e acolá um pitilho.

Certo dia, Dom Moacir volta à Folha do Acre e abufela Fé em Deus num apertado e carinhoso abraço, diante de toda a Redação, o abençoa, e vai perguntando:
– Meu filho, você está gostando da Bíblia?

E o Pheyndews Carvalho:

– Já estou em Mateus, Emi…nência!

MINIDICIONÁRIO DE ACREANÊS

– PHEYNDEWS CARVALHO – Jornalista acreano que faleceu em 2009
-FOLHA DO ACRE – Jornal criado pelo senador Mário Maia durante o Governo Nabor Júnior
– MATANÇA – Risadagem; gozação
ABARCANDO – Pespegando; tacando
ABUFELA – Agarra
-PITILHO – Cigarro de Cannabis Sativa; baseado

EDVALDO ABASTECE O MERCADO DE CRUZEIRO

JOÃO BRAHMA
Azzecom

O pres. da Assemb. dep. est. Edvaldo Magalhães conseguiu mais um ponto percentual em sua campanha ao Senado de Ucayalli esta semana, quando conseguiu fazer desembarcar em Cruzeiro em aviões da Aerosur milhares de móis de cheiro-verde, tomate e cenoura, além de diversas touceiras de vagem para suprir o mercado do Wagner Sales.

Edvaldo foi muito aplaudido também pelo povo de Tarauacá, que, segundo o Fantástico, nunca viu um chuchu. Esses aviões deverão ser os mesmos que a partir de agora levarão os turistas brasileiros a La Paz. O governo peruano achou a medida do peru, mas traficantes daquela região ainda apostam no emprego das hidrovias do Juruá, através das quais continuam exportando cada vez maiores carregamentos de canabis sativa e um tipo farinha que nunca se cheirou tanto no Acre.

CPO 15

TATIANDO CAMPOS

De Copenhaggen

Desde que o Gunverno distribuiu aqueles veículos que dão as parenças de rolabostas aos policiais militares para implementarem a nova visão de fazer segurança pública no Canal da Maternidade, nunca o Acre foi tamanho destaque na Dinamarca.

O governador do Estado Tião Viana, o governador da Califórnia Árnobi Schwazbinhegger botaram mais curto do que pescoço de pacu em Copenhaggen, a cidade do chocolate, ao apresentarem as propostas do Acre para melhoria do clima.
Apesar de ser destaque, a proposta não ganhou o Prêmio da colunista Rubdna Braga, o que foi visto pelo Sistema Pubo de Comunicação Animal como “coisa de espírito de porco”.

A proposta do Acre para melhorar o clima consiste em usar a palheta do helicóPTero governamental para abanar as comunidades mais abestadas da sociedade. O líder do Gunverno disse que a idéia é boa e pode ajudar a bombar as estatísticas do Estado, levando-o a entrar para o Livro dos Recordes como o “Maior ventilador público em ação no Brasil”.

Antes de embarcarem de volta para a distribuição de panetones da Miragina às populações menos abestadas da sociedade, porém, o governador Tião Viana fez um protesto contra a ONU, dizendo que não participará mais de nenhuma conferência que tenha o número do PMDB. “Essa pinóia poderia se chamar COP 13, bolas!”, não disse em Copenhaggen.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation