Demissão de agentes de endemias gera debate acalorado na Aleac

A demissão dos agentes de endemias do Juruá proporcionou uma troca de acusações entre o deputado Thaumaturgo Lima (PT) e a deputada Idalina Onofre (PPS). A parlamentar oposicionista acusou o Governo de não tratar os demitidos com respeito. “O Thaumaturgo me acusou na questão dos agentes de endemias de criar uma falsa expectativa. Mas a emenda 51 regulamenta tudo isso. Pedi informações para o Governo que me foram negadas sobre o edital e a contratação dos concursados. Quando fui para Brasília conversei com os deputados federais da Comissão de Endemias do Congresso. Inclusive, o deputado Valdenir Pereira (PSB-MT) se comprometeu a ir à Cruzeiro do Sul para avaliar a situação. No Mato Grosso a questão foi regularizada. Só no Acre que ainda não”, protestou.

Idalina também garantiu que não votou a favor de nenhum concurso para provisórios nas endemias.  “Nunca fui a favor de concurso provisório e votei contra todos os projetos. No caso da contratação dos PMs entrei com ação contra o Estado. Estou lutando a favor dos direitos trabalhistas das pessoas que foram demitidas verbalmente e foram tratados pior que os cachorros do Vale do Juruá”, avaliou.

Governo é obrigado a realizar concursos públicos
O deputado Thaumaturgo Lima (PT) garantiu que o Governo nunca quis demitir ninguém. Que no caso das endemias houve um ajuste de conduta orientado pelo Ministério Público do trabalho. O petista ainda ironizou as posições da deputada oposicionista. “Ela está cometendo um grande erro fazendo um discurso fácil e criando uma expectativa a qual não poderá honrar. O concurso público é uma exigência do Ministério Público nas Endemias. O Governo está cumprindo com a exigência.

 Quem não passou no concurso o Governo está demitindo. Nós não gostaríamos de ver as pessoas perdendo o emprego. Mas, infelizmente, quem está saindo das endemias é quem não passou. A deputada já foi no Ministério Público e sabe que não pode manter esses agentes nos seus cargos. Ela está criando uma falsa expectativa. Acho que ela deveria rever isso. Não pode haver provisórios e nem grupos de trabalho. Quem não passou será substituído pelo que passou”, explicou.

Quanto às indenizações trabalhistas, Thaumaturgo Lima, garantiu que serão pagas se tiverem de acordo com a lei. “O Governo está fazendo a sua parte. Se eles tiverem direito a indenização não tenho dúvida que o Governo vai pagar”, finalizou.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation