Fracasso das reuniões suspende negociação da cúpula do clima

A Cúpula da ONU da Mudança Climática foi interrompida depois que as negociações não avançaram porque milhares de pessoas credenciadas ficaram de fora da conferência devido a um problema no acesso às reuniões nesta segunda-feira (14).

Nesta segunda-feira, o bloco africano abandonou as negociações após denunciar que os países industrializados estão tentando “matar” o Protocolo de Kyoto ao tentar carimbar um acordo mais amplo que inclua compromissos vinculativos de redução de emissões poluentes às nações emergentes.

A presidência dinamarquesa dedicou a manhã para reunir-se com os grupos regionais da cúpula, diante da chegada de 50 ministros do Meio Ambiente, situação que incomodou blocos como o africano, porque gerou o cancelamento das sessões plenárias.

O presidente do grupo, o delegado argelino Kamel Djemouai, denunciou que a presidência dinamarquesa trata de forma separada (quando convém) e misturada elementos das duas vias de negociação, a de Kyoto e a da Convenção Marco da ONU.

“Se aceitarmos esta situação, assinaremos a morte de Kyoto, o único documento legalmente vinculativo existente”, afirmou Djemouai.

A saída africana era minimizada pelo secretário-executivo da conferência, Yvo de Boer. Segundo ele, a presidente da conferência, a dinamarquesa Connie Hedegaard, dedicou a manhã para coordenar a agenda da conferência com os diferentes grupos.

Além disso, coletivas de imprensa das delegações dos EUA e da China, os dois países mais poluentes do planeta, previstas para hoje, foram canceladas sem motivo, além de outros compromissos com a imprensa.
O tom das negociações endureceu na semana passada, diante da negativa dos países emergentes de carimbar acordos vinculativos –algo que, conforme o Protocolo de Kyoto, só estão obrigados os países ricos– mas a apresentação de duas minutas de trabalho acalmou os ânimos. (Folha Online)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation