ANO NOVO, VIDA NOVA!

Aconvite-12
Nessa passagem para 2010, queremos renovar o compromisso de continuar pautando assuntos que objetivem ajudar a resolver problemas sociais comuns ou até mesmo os mais complexos, oferecendo espaço a quem não tem voz sempre com o olhar crítico. No ano passado, por exemplo, foram muitas conquistas para a coluna, só uma reportagem de título: “BOMBA”, bateu recorde no site do jornal na internet proporcionando dezenas de acessos, isso sem falar de outros avanços importantes, entre eles, o de aproximar uma família depois de trinta anos sem nenhum contato. (Fiquem atentos que essa história terá um final feliz!) Portanto, que esse ano seja repleto de realizações para todos, até mesmo para quem não entendeu a importância da coluna dentro do contexto geral, ou seja, o de ajudar o próximo indistintamente, fazendo o bem sem olhar a quem.

NOVIDADES EM 2010

Aconvite-11
Acompanhando as tendências tecnológicas e da moda, ajudamos no ano passado a lançar porta cartões de resíduos de madeira, cuecas importadas feitas espe-cialmente sobe medida e, agora, eis que surge uma caneta interativa, isso mesmo, “interativa e poliglota”. A Pentop (foto) permite ler, traduzir textos em várias línguas e até sonorizar imagens. Ela dispõe de um sensor que codifica os impressos nos livros reproduzindo, imagine, até os sons. Se aplicada a um livro de inglês, por exemplo, ela lê as perguntas, sonoriza as respostas e ainda pode traduzir o conteúdo em outras línguas, tornando o aprendizado mais rápido, fácil e dinâmico. Não é uma beleza?

 FALA POVO
“EDITORA TRIESTE UM TRISTE EPISÓDIO”

Aconvite-10
Olá caro amigo Botto!!!

Estou te enviando material fotográfico que comprova o absurdo. Uma editora chamada “EDITORA TRIESTE” publicou e comercializa em todo o país e no exterior (pois são vendidos a turistas) um mapa do Brasil onde a nossa amada Capital do Acre aparece com o nome RIO CLARO.

Estava eu e um grupo de amigos na orla de Copacaba-na-RJ, comemorando o hexa do Flamengo juntamente com colegas do Rio de Janeiro, Salvador e Minas Gerais, dos quais tínhamos acabado de conhecer, quando passou um vendedor ambulante oferecendo mapas. Um dos meus amigos do Acre com empolgação e muito orgulho de pertencer a uma das mais lindas cidades do Norte que é a nossa Rio Branco, ao abrir o mapa, grande foi a decepção, pois a nossa cidade estava grafada com o nome de Rio Claro.

Sem dúvida um grande constrangimento para todos nós acreanos ali presente, porque os colegas dos outros estados não perderam a oportunidade e passaram a zoar com nossa cara com brincadeiras do tipo: “Vocês são Rio-branquen-ses ou Rio Clarenses?”

É um absurdo que em pleno século XXI onde não há mais fronteiras para a informação, uma editora de publicação nacional cometa tamanho desconhecimento.
 
1 – Peço que alguma autoridade competente do Estado faça contato com essa editora e solicite a retratação e correção de tão absurdo ERRO em respeito ao povo acreano.
Segue as fotos para comprovação.

2 – Se continuar assim proponho ainda, que boicotemos essa editora não comprando suas publicações.
 
Atenciosamente,

Rodonilton Pontes
Cidadão Rio-branquense

 
Nota pé: Concordo plenamente com o leitor e vou mais a fundo na questão, isso é um tremendo desrespeito para o povo acreano! Acho que “corrigir” é muito pouco para uma editora considerada de nível nacional cometer tamanha aberração ao ponto de trocar, “propositadamente”, o nome da Capital por uma cidade que nem existe no nosso Estado, se assim o fosse, poderia até ser motivo de justificativa. Por conta disso, quantas pessoas não foram iludidas? Com certeza, compraram gato por lebre. Profundamente lamentável essa história, caberia perfeitamente uma Ação Popular na Justiça de reparação por danos morais e materiais. Quem se habilita?

TERMOS E EXPRESSÕES LATINAS EM DESUSO
Absque Bona Fide, Nulla Valet Praescriptio – Nenhuma
prescrição vale sem a boa fé.

REGISTRO

Aconvite-13
Esteve em Rio Branco para as festas de fim de ano, o competente cinegrafista da TV A Crítica, afi-liada da Rede Record no Amazonas, Pedro de Assis, o Pedro Bala (foto). Ele retornou a terra natal para rever amigos e familiares depois de doze anos ausente. Um grande abraço da coluna.

 QUESTÃO DE DIREITO  PARTE VII

Juiz justifica traição conjugal e chama marido traído de “solene corno”

A mulher está recuperando milhares de anos na escravidão e dependência do homem, ou seja, atualmente ela está se emancipando e indo à luta, batalhando e trabalhando “como um homem” (no dizer dos machistas) – ela conquistou o “direito” de querer e até de exigir um tipo de relacionamento e de sexo satisfatório e um ótimo desempenho do parceiro e não mais ficar na condição passiva – ela não é mais a que espera e obedece.

O homem de hoje não é mais o “substrato econômico de uma fêmea insignificante” e, com alguns homens, no início da “meia idade”, já não tão viris, o corpo não mais respondendo de imediato ao comando cerebral/hormonal e o hábito de querer a mulher “plugada” 24hs, começam a descarregar sobre elas suas frustrações, apontando celulite, chamando-as de GORDAS (pecado mortal) e deixando-lhes toda a culpa pelo seu pobre desempenho sexual. E aí, há o descompasso – mulheres, às vezes, já na pré-menopausa, quase livres do fantasma da gravidez, no geral com mais tempo livre, com a revolução dos hormônios, carência, fragilidade, desejam um sexo com maior freqüência, melhor qualidade e mais carinho – que não dure alguns minutos apenas, mas que se inicie num olhar, num beijo, numa promessa para mais tarde – a arte da conquista – o macho que mostra suas “plumas” bem antes do acasalamento, quando isso vai morrendo, há dois caminhos mais comuns – umas se fecham, ficam deprimidas, envelhecem, murcham – outras, buscam o prazer em outros olhos (que não as viram jovens), outros braços, outros beijos e se sentem felizes, amadas, desejadas, poderosas! E traem – não traem simplesmente como homens que, no geral, buscam quase somente a satisfação carnal do momento, traem de coração, rejuvenescem, desabrocham.

ÚLTIMAS DO DIA

* Estranha essa história envolvendo policiais militares que te-riam dado primeiro “cavalo de pau” na viatura zero quilômetro, logo depois, reeducando em liberdade condicional aparece morto segurando uma arma. A família da vítima garante que não aconteceu troca de tiros, mais parece crime de execução ou vingança…

* …outra situação estranha foi a morte de Magaiver, o laudo do IML diz que seria traumatismo, o Iapen suicídio. Pelo sim pelo não, por que a nota oficial, “num passo de mágica” foi tirada do site do governo?

* Mais estranho ainda, apesar de já haver desmentidos do Sindicato da categoria é, que a equipe de agentes penitenciários de plantão no dia da morte de Martini Martiniano, seria a mesma que estava de serviço quando Magaiver foi a óbito. Os dois morreram em circunstâncias idênticas e as estatísticas só aumentam na penitenciária que comprovadamente não é de segurança máxima como propagam.

* Por outro lado, no final do ano passado, uma turma nova de recrutas da PM deu exemplo ao realizar boa ação social. Parte do dinheiro dos salários se reverteu em ações humanitárias nos bairros periféricos como o “Caladinho”. Os futuros soldados entregaram brinquedos e sacolões para a população carente.

* A propósito, festa bonita proporcionada pelo sistema Fieac aos colaboradores da indústria, eram tantos presentes que o presidente João Salomão pediu ajuda de outros dirigentes sindicais, entre eles, Carlos Sassai da Construção Civil que premiou até passagem para Fortaleza.

* Na área de trânsito 2010 começa mal, sem contar com os acidentes (cada um, em?), dezenas de processos estão acumulados no Conselho Estadual de Trânsito, simplesmente, porque há pelo menos três anos o governo não nomeia ninguém para a entidade, os prejuízos para os motoristas que recorrem das multas são incalculáveis…

*  …até os membros da JARI-Detran foram destituídos e ninguém sabe o que fazer para ter uma resposta do Estado. A prioridade pelo visto é arrecadar impostos, além do gordo dinheiro proveniente das multas. Lamentável!

* A chiadeira continua grande nas filas dos cartórios, além da demora para atender, as taxas cobradas não condizem com a realidade. Isso porque ainda não foram privatizados, quando isso acontecer de vez, aí vai ficar… (melhor ou pior)? Tirem as suas conclusões.

* Outra chiadeira é referente à demora na reforma do Parque Ambiental Chico Mendes, são quase dois anos de espera e nada de abrir os portões para o povo ver o zoológico…

* …é por isso que cobras e jacarés estão direto aparecendo na zona urbana de Rio Branco, inclusive até nas calçadas (Loteamento Novo Horizonte, Avenida Ceará, etc.) e, não tem para onde os bichos serem levados.

* Conforme prometido no ano passado, já estamos em poder da melhor carta enviada ao programa Clube do Rei da 98 FM, portanto não percam as próximas edições, é amor do início ao fim.

* O jornal teve um probleminha na internet, a coluna agradece o apoio providencial do jornalista Gabriel Rota da TV Gazeta.

*  Mesmo com certo atraso, A VOZ DO POVO recebeu, agradece e retribui os votos de Boas Festas/Próspero Ano Novo de: Coronel Romário Célio, Comandante da PM/Acre; Deputada estadual Dinha Carvalho; Adão Evangelista, bacharel em Direito; Assessora de Comunicação Didi Azevedo – Via Shopping; Everton Barbosa, ex-diretor da TV Acre; Dayvid Lopes Brito, professor de Educação Física; Vereador Ricardo Araújo e família; Evandro Rosas, Secretário de Administração da prefeitura de Rio Branco; Romero e família (Reunidas Distribuidora); engenheiro Wilson Viana, ex-diretor do Saerb; José Pereira, Secretário de Finanças da prefeitura de Rio Branco; Roberto Sá e família; casal Mamed e Deuzimar Dankar; Deputado federal Flaviano Melo; Jessiane Gisele – VIVO; Marquinho Bastos e família; radialista Jânio Gomes, 98 FM; advogado Bady Casseb, conselheiro OAB/Acre; Luiz Alberto Maciel, repórter cinematográfico; Geraldo, Viviane, Pedro e Anna Sophia; Franklin Passagens Aéreas; Antônio Assis, jornalista; Itacir Flores, Secretário geraldo MNBD (Movimento Nacional dos Bacharéis de Direito); Paulinho Viana, Diretor do Idaf; Ronaldo Queiroz e família.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation