Política local 21/01/2010

“Em terra de cego que tem um olho não é rei, é caolho”.

Ditado popular

Para valer
Basta conhecer um pouco da trajetória do prefeito de Cruzeiro do Sul, Wagner Sales (PMDB), para saber que ele não blefa, quando diz que se a oposição não for com candidaturas únicas para governador e senador estará fora da campanha. A sua decisão é correta em não embalar a rede dos que colocam os interesses pessoais acima de um projeto para se chegar ao poder.

Não me cutuquem!
Ligou de Sena Madureira, o secretário municipal Cirleudo Alencar, para advertir o grupo do ex-prefeito Areal não aceitar patrulhamentos:  “sou ético, não falei, mas ainda posso falar”.

Meramente técnico
Diz Cirleudo que sempre se portou com ética, que é um técnico, não é político, por isso não vê problema em trabalhar em administrações de prefeitos diferentes.

Boatos mentirosos
Cirleudo considerou mentirosos os boatos que a prefeitura está parada, devido às demissões: “não parou e nem vai parar porque boa parte dos demitidos só aparecia para receber”.

Serviços mantidos
Garantiu que serviços essen-ciais como Saúde, Educação, e os demais continuam funcionando sem o mínimo entrave. Considerou correta a decisão do prefeito Zaire em fazer concurso.

Chiando sem razão
O ex-prefeito Tião Bocalom e o ex-deputado Sérgio Barros (PSDB) reclamam sem razão da falta de espaço na imprensa do Juruá para falar de suas candidaturas ao Governo e ao Senado.

Campanha proibida
É proibido pela Justiça Eleitoral alguém ocupar rádios e televisões no momento para falar como candidato. Então, as rádios de Cruzeiro do Sul não fizeram nenhum tipo de censura.

Aí caberia
Caso já tivessem acontecido as convenções regionais e as suas candidaturas estivessem postas legalmente e lhes fosse negado espaço, aí sim, caberia a acusação de ato de censura.

Dependência total
Um caminhão do “Frigorífico Guaporé”, de Rondônia, estava na última segunda-feira, abastecendo o Supermercado Araújo com carne. Até isso dependemos do vizinho estado!

Quem diria!
Quem diria que se veria um dia o Acre, que tinha o dobro do rebanho bovino de Rondônia, tendo que importar até carne dos rondonienses?

Carnaval sem banda
Lembram daquele carnaval feito meses atrás pelo governo com uma safra experimental de tomates em Cruzeiro do Sul, prometendo que era a partida para a auto-suficiência?

Privilégio de poucos
Pois bem, ficou só naquilo, e hoje o quilo do tomate em Cruzeiro do Sul, custa R$ 8, e assim mesmo quando encontrado, o que torna a salada um privilégio de poucos cruzeirenses.

E olhe lá!
Mesmo com terras férteis, o Acre mal produz cheiro verde e a chicória para temperar o peixe.

Como é que pode?
Como é que se pode dessa maneira se querer transformar o Acre no melhor lugar para se viver?

Não pode criticar
O candidato ao governo, Tião Bocalom (PSDB), também não pode criticar os governos petistas, porque foi secretário de Agricultura do PT, e se desconhece uma ação sua para reverter isso.

Acordo fechado
Não se sabe em cima de que acordo, mas, o vereador Raimundo Vaz (PRP) anunciou em reunião na PMRB, o seu apoio à candidatura do secretário Geraldo Pereira (PT) à Aleac.

Boa notícia
Foi uma boa notícia para o ve-reador Astério Moreira, que vai correr mais livre no PRP.

Não decola
Pipocam denúncias de falta de médicos na rede municipal de Saúde. Definitivamente o secretário Pascal Khalil não consegue fazer decolar a sua administração.

Calcanhar de Aquiles
A Saúde continua sendo o “calcanhar de Aquiles” da boa gestão do prefeito Angelim.

Por que vincular?
Não consigo entender porque se faz sempre relação com o ex-deputado José Bestene, quando se acusa um genro seu de estar ganhando licitação do governo com a empresa encrencada.

Figuras distintas
São figuras absolutamente distintas, por isso não cabe fazer esta associação.

O Haiti é aqui!
Faltam médicos na rede pública de Saúde, no Acre, e nos damos ao luxo de mandar dez profissionais ao Haiti. Governador Binho Marques, o Haiti é aqui!

  E é?
Recebo e-mail no seguinte teor: “você sabia que o empresário Jonaldo, candidato a deputado estadual, é gente do Carioca infiltrada no DEM para tentar derrotar o deputado N. Lima?”.

Completando o e-mail
“Se o Jonaldo fosse de fato da oposição você acha, Luiz Carlos, em são consciência, que ele estaria lotado de obras do governo?”.

Espaço aberto
A coluna, democraticamente, está com o espaço aberto para as contestações.

Bom por isso
O vereador Rodrigo Pinto é lutador de jiu-jitsu, sabe cair, por isso, se levar uma rasteira na sua candidatura ao governo para garantir alguma aliança do PMDB, não se machucará.

Não é fácil

Sem uma pressão forte das igrejas evangélicas e a senadora Marina Silva (PV) defendendo seu nome de forma aberta e incisiva, não será fácil o deputado federal Henrique Afonso (PV) conseguir emplacar sua candidatura à segunda vaga do Senado na FPA, muito embora seja um quadro político ético e qualificado. Existe todo um jogo de cartas marcadas na cúpula petista.          

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation