Política local 30/01/2010

“O Brasil tem os políticos mais religiosos do mundo: sempre pedem um terço”.

Frase do anedotário político.

Não revelada
O deputado federal Fernando Melo (PT) e o ex-governador Jorge Viana (PT) tiveram ontem uma conversa política reservada com principal enfoque na disputa do Senado. O deputado federal Fernando Melo não quis comentar sobre os pontos discutidos, limitando-se a dizer que continua tão candidato ao Senado quanto antes da reunião.

E-mail fúnebre
Chega e-mail pedindo para registrar a morte em Tarauacá do ex-vereador Jaqueira. É um pedido fúnebre e estranho, mas, democraticamente, estamos registrando o fato.

Pepinos do vizinho
O prefeito Wanderley Zaire não tem motivo para renunciar, porque nenhum desses pepinos de devolução de dinheiro de convênios mal aplicados brotou da sua horta.

Juridicamente limpo
Como nenhuma das contestações é dessa sua curta gestão, juridicamente está limpo, e a única coisa que pode acontecer é a prefeitura de Sena Madureira ficar inadimplente.

Não comeu
Mas, isso se resolve nos ministérios com a bancada federal ajudando a desfazer cada nó e buscando um termo para a sua gestão não pagar por um queijo que não comeu.

Situação real
Até porque, se ocorrer nova eleição em Sena e ele for candidato a prefeito e vencer, terá que conviver com todos estes problemas, isso é irreversível.

 Sem compromisso
O deputado Manoel Mo-raes (PSB) me disse ontem que pode até parecer estranho, mas não firmou nenhum pacto com o deputado Delorgem (PSB) para substituí-lo.
 
Candidatura certa
Explica Manoel Moraes que tanto isso é verdade que ele será candidato a deputado estadual nesta eleição, devendo neste caso disputar com Delorgem Campos no PSB.

Chance
Pela votação que teve Mo-raes na última eleição, quando ficou como primeiro suplente e o PSB fizer dois deputados estaduais pode sim abiscoitar uma vaga.

Admiração em baixa
O secretário municipal de Saúde, Pascal Khalil, conseguiu unanimidade tanto na oposição como na base da FPA na Câmara Municipal: está com a admiração em baixa.

Recuo total
Isso dá para ser observado na conversa entre os ve-readores, que prometem não fazer a defesa do secretário, quando da volta aos trabalhos na próxima segunda-feira.

Outro ponto que pesa
Outro ponto que vai pesar a favor da candidatura do senador Tião Viana (PT) ao governo na eleição deste ano é a estupenda votação que o elegeu para o Senado.

Muito improvável
Em política não existe o impossível, mas, é improvável que uma oposição que não definiu nem com quantas candidaturas entra na briga, consiga eleger o governador.

Ganha nas duas
Na última pesquisa do Ibope, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), ganha nas simulações no primeiro e no segundo turno para a Presidência da República.

Patina na rabada
E em todas as situações a candidatura da senadora Marina Silva (PV) patina na rabada.

Sei lá?
Chega um e-mail com a seguinte pergunta: “você ainda duvida que o candidato Janaldo (DEM) é um espião do Carioca na oposição?”. Não acredito e nem desacredito.

Cheirando intriga
Isso começa a cheirar intriga de adversários políticos que disputam o mesmo espaço.

Chapa pronta
Jorge Viana (PT) para senador e Nílson Mourão (PT) para primeiro suplente. Isso é ponto pacífico. Quanto à chapa da segunda vaga do Senado na FPA, só Deus sabe!

Derrota antecipada
Estou preparado para assistir o Rio Branco morrer de novo na praia: contrataram novamente o volante Zé Marcos. Este moço só pode ser parente do presidente Natal!.

Grande Maninha

Ilson Nascimento, o “Ilson Maninha”, no alto dos seus 65 anos é uma figura impar no radiojornalismo da Difusora Acreana. Poucos sabem, mas nos idos de 80 tentou carreira no jornalismo escrito, mas morreu na primeira reportagem, ao grafar o título de uma entrevista com o então Secretário do Interior, Omar Sabino de Paula: “Omar, um secretário que caminha lado a lado com a marginalidade”. O pior é que chamado a explicar, foi lacônico: “quis dizer que era um homem bom”. Foi despedido na hora.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation