Política nacional 13/01/2010

“Há uma grande confusão dentro do próprio governo [federal]…”

Governador José Serra (PSDB) embromando, sem tomar uma posição sobre o polêmico decreto.

Crise militar recrudesce no governo
Há algo no ar além dos caças Rafale e o decreto voador: o comandante da Marinha, almirante Júlio Moura Neto, estava no Rio e foi chamado às pressas ontem a Brasília. O adiamento da audiência do ministro da Defesa e o presidente Lula provocou desconforto entre os chefes militares. É que o Palácio do Planalto vazou que Lula considerou “chantagem” a ameaça de demissão de Nelson Jobim.

A ameaça
Jobim cogitou entregar o cargo caso não fosse revisto o Plano Nacional de Direitos Humanos.
 
Nova reunião
Lula marcou reunião com Nelson Jobim e Paulo Vanuchi (Direitos Humanos) até sexta-feira.

Mesmo saco
A rigor, os presidenciáveis José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV) não se posicionaram sobre o decreto petista “dos direitos dos mano”.

AI-5 petista
O leitor catarinense Irineu Deliberali explica a sigla “AI-51 de Lula” para o tal “plano de direitos humanos” do PT: “A” de aloprado e “I” de Inácio.

Saúde no DF…
O contrato da Secretaria de Saúde do DF com a empresa Sanoli Indústria e Comércio de Alimentação, no valor de R$ 70 milhões por ano, prevê o fornecimento de 640.000 refeições mensais a pacientes e funcionários na chamada “rede pública de saúde”, composta de 16 hospitais. O maior deles tem só 797 leitos. Por meio ano de contrato, que foi prorrogado até maio, a empresa receberá R$ 35,5 milhões.

Justiça seja feita
A aversão a concorrência não é da Sanoli, mas da Secretaria de Saúde, que ignorou os ofícios da empresa insistindo em nova licitação.

Vento na popa
O pólo industrial de Manaus faturou US$ 2,8 bilhões em novembro, contra US$ 2,1 bilhões no mesmo período de 2008. Cresceu 37,6%.
 
Mala sem alça
Há exatos 115 dias o desocupado Manuel Zelaya está por nossa conta na Casa da Mãe Joana, isto é, a embaixada do Brasil em Honduras.

Tô fora
O senador Cristovam Buarque não disputará o governo do DF. Avisou ao PDT que renunciaria logo na primeira greve de professores – cujas paralisações anuais já fazem parte do calendário de folgas da classe.

Põe o tubo…
A julgar pelas três ambulâncias estacionadas ontem à porta do local que sediou mais um factóide do “Minha Casa, Minha Vida”, em Brasília, o programa habitacional do governo Lula deve estar na UTI.

Piso para PMs
Lula recebeu ontem o senador Renan Calheiros, para discutir o projeto do piso nacional para policiais militares, que será pago em parte pelo seu governo. Não será o do DF (R$ 5.200), mas pode ficar em R$ 3.300.

Quem matou?
Completam-se nesta quinta-feira 150 dias do brutal assassinato do ex-ministro do TSE José Guilherme Villela, de sua mulher Maria e da empregada Francisca. E a Polícia Civil do DF continua na estaca zero.

Contracheque…
A Universidade de Brasília deixou de pagar as férias de alguns professores no dia 4 deste mês. Mas o aviso de pagamento tava lá, no contracheque. A UnB informou que vai depositar a grana sexta-feira.

Só faltou cair neve
Sergipe sofreu ontem um forte temporal, que atingiu até municípios do sertão de terra rachada. “Desse jeito o sertão vai acabar virando mar”, comentou o ilustre sergipano Cezar Britto, presidente nacional da OAB.

Rafale na cabeça
Entre o que pensa torneiro mecânico que assina sem ler e os técnicos da Aeronáutica, vai prevalecer o comprometimento de Lula com essa compra: o Brasil deve oficializar ainda este mês a opção pelos caças franceses Rafale, como Lula já havia prometido a Nicholas Sarkozy.

Enquadrados
Sabe o que vai acontecer nos quartéis da Aeronáutica, após o presidente Lula anunciar sua opção pelos caças franceses Rafale? Nadica de nada: os militares da FAB vão ficar pianinho, mudos.

Sim, senhor
A frase de Getúlio Vargas sobre o temor de amigos dele à reação dos quartéis, tem sido repetida no Planalto: “Militares batem continência”.

PODER SEM PUDOR

O preço do desafio

Dono da língua mais afiada do seu tempo, o deputado Carlos Lacerda foi surpreendido, no plenário, pela queixa do deputado Napoleão Nono (CE) sobre a referência do parlamentar do Rio de Janeiro a “cearenses contrabandistas”. Nonô falou com firmeza:
– A bancada do Ceará protesta contra a acusação!
E experimentou o fel que escorria no canto da boca de Lacerda:
– Eu não disse que os cearenses são contrabandistas, deputado Napoleão. Eu disse que há cearenses que fazem contrabando. Entre os quais, data vênia, incluo Vossa Excelência…

Assuntos desta notícia


Join the Conversation