Política nacional 23/01/2010

“Não vou perder meu tempo com tititi, fofoca”.

Governador de São Paulo, José Serra, principal candidato tucano à Presidência.

Dinheiro para ‘calamidades’ vai pelo ralo
Morro abaixo, água acima, nem sempre a verba federal para governos e prefeituras é aplicada em casos de “calamidade pública”, como atesta o Tribunal de Contas da União: foram 65 casos em 2007, 59 em 2008 e 66, em 2009. A restauração de uma rodovia em São Paulo de Olivença (AM) ficou no papel, e a “simulação de uma situação de emergência” ficou só na simulação mesmo, em São Borja (RS). A Receita investiga.

 Onde mora o perigo
A Controladoria-Geral da União diz que fiscaliza a aplicação dos recursos, mas quem analisa e aprova é o ministério que os repassou.

Assim caminha a multa
Todos os 190 processos analisados pelo TCU nos últimos dois anos resultaram em multa. Pagá-la é outra questão calamitosa…

Caça-fantasmas
Ainda bem que Lula não é Getúlio Vargas, como tenta sugerir. Teria que enfrentar Carlos Lacerda nos desaforos. Seria muita covardia…

Turista acidental
Enciumado com o protagonismo do ministro Nelson Jobim (Defesa) no Haiti, o chanceler Celso Amorim inventou sua viagem a Porto Príncipe.

Liminar no DF
A liminar da Justiça que retirou dez deputados das investigações do mensalão do DEM, em Brasília, gerou uma anomalia: uma espécie de “meio deputado”. Como continuam no mandato, os afastados exercerão funções parcialmente, e os substitutos terão cerceadas as atribuições plenas, sem participar das demais decisões. O petista Sérgio Carneiro (BA), procurador da Câmara Federal, também vê anomalia na liminar.

Nulidades
Esse tipo de decisão pode caracterizar nulidades e favorecer a defesa, pondera Sérgio Carneiro, “e as pessoas comuns ficam sem entender”.

Detran S/A
O Detran-DF aumentou de R$ 100 para R$ 128 milhões, em 2009, seu faturamento cobrando “taxas”. Nem tráfico de drogas dá tanto dinheiro.

Queimando pestanas
Mais de sete mil cartórios estão sem titular, mas para assumi-los o Conselho Na-cional de Justiça determinou concurso.

Voz da experiência
A reação do PSDB, chamando Dilma Rousseff de “mentirosa”, mostrou que o presidente Lula tinha razão ao se irritar, em Minas, quando a ministra atacou o senador Sérgio Guerra. Deu holofotes ao tucano.

Depoimento mantido…
O presidente interino da Câmara Legislativa do DF, Cabo Patrício (PT), afirma que o depoimento de Durval Barbosa está mantido para terça-feira. Mas o caso pode sofrer nova reviravolta antes mesmo disso.

…mas só por enquanto
Os deputados ligados ao governador Arruda, vão destituir Leonardo Prudente, o da grana nas meias, da presidência da Câmara, caso ele não renuncie. Elegerão um substituto e Cabo Patrício perderá o posto.

Anticandidatura
O deputado Chico Leite (PT), uma das honrosas exceções na Câmara Legislativa do DF, deverá ser lançado pela oposição minoritária como uma espécie de “anticandidato” a presidente, só para marcar posição.

Já nasceu grande
Marcelo Odebrecht se associou à Petrobras e presidirá o conselho de administração da petroquímica BRK, que nasce como a oitava maior do mundo. Com a aquisição da endividada Quattor, a Odebrecht investirá  R$ 1,2 bilhão imediatamente. À estatal caberá aplicar R$ 2,5 bilhões.

O circo chegou
Não basta ter um “mestre sem cerimônia”, que fala o que dá na telha: a Presidência da República vai contratar um mestre de cerimônia, tantas são as “inaugurações” do PAC e outros espetáculos. As propostas serão abertas no próximo dia 3, já beirando o Carnaval. Tudo a ver.

Ameaça musical
O ex-presidente de Honduras Manuel Zelaya anunciou que ficará “temporariamente” no México. Com aquele chapelão, poderá empregar-se num grupo de mariachis. E continuar enchendo o saco do mundo…

Nosso chapéu
O Brasil recebeu só US$ 67,3 milhões dos US$ 150,4 milhões que a Nigéria devia há mais de 20 anos. O resto foi perdoado. A Nicarágua obteve perdão de 95% da sua dívida de US$ 141 milhões. Sem pedir.

Pensando bem…
…falando “merda”, “babaca” e outras expressões impublicáveis, qualquer dia o presidente Lula só poderá ser exibido após às 21h.

PODER SEM PUDOR

Luigi Lula da Silva

O presidente Lula é da Silva e nasceu num distrito de Garanhuns (PE), mas desconfia que sua origem é italiana. Disse isso a um jornalista que recebeu para jantar, em fevereiro de 1991, na sua casa de São Bernardo do Campo. Ainda resolveu “provar”, colocando um disco de Luciano Pavarotti para tocar. Quando o tenor atingiu o clímax da música, a plenos pulmões, Lula se aproximou do jornalista apontando o próprio olho, cheios d’água:
– Tá vendo? Não entendo uma só palavra do que ele canta, mas me emociono. Só posso ser descendente de italiano!

Assuntos desta notícia

Join the Conversation