Política nacional 24/01/2010

“Vocês vejam que o governador não pode ser perfeito”.

Presidente Lula, corintiano, gozando com o governador José Serra (SP), palmeirense.

Dilma chamará Duda para nova reunião
Apré-candidata do PT à Presidência da República, ministra Dilma Rousseff, decidiu convidar o marqueteiro Duda Mendonça, que fez a campanha presidencial de Lula em 2002, para uma nova reunião, nos próximos dias, a fim de definir a eventual participação dele em sua campanha. Os dois já conversaram, e ela ficou impressionada e muito confiante no próprio desempenho, na campanha eleitoral deste ano.

 Velho conhecido
Dilma conhece Duda desde os tempos de ministra de Minas e Energia: ele criou e campanha e a denominação do programa “Luz para todos”.

Crise no PT
A aproximação entre Dilma e Duda Mendonça gerou uma crise na campanha dela. O marqueteiro do PT, João Santana, ameaça cair fora.

Expectativa
Dilma deverá decidir logo quem será seu marqueteiro: Duda e João Santana são muito requisitados e já têm inúmeros outros convites.

Acertado
Os tucanos não gostam dele, mas Luiz Gonzáles, que fez a campanha de Geraldo Alckmin, deverá ser o marqueteiro de José Serra.

Senado substitui…
O Senado recuou da decisão de designar cinco poli-ciais legislativos para integrar a Comissão de Sindicância criada para investigar servidores da Casa que passariam informações a jornalistas. A lista agora só tem três servidores: um analista, um técnico legislativo e o advogado Asael Souza, o que conduziu processo administrativo contra o ex-diretor João Carlos Zoghbi, afastado do Senado.
 
Pena é demissão
Os “infratores” no Senado poderão até ser demitidos, segundo a Lei 8.112/90: “revelar segredo do qual se apropriou em razão do cargo”.
 
Delatores na berlinda
O Senado informou que alterou os investigadores porque o objetivo não é dar um caráter “policialesco” à sindicância. Quer apurar os fatos.
 
Maletas de escuta
A Polícia do Senado teria autorização para gravar telefonemas e rastrear e-mails sem autorização judicial. O Senado nega.

Superstição
Fontes do governo atribuem à primeira-dama a ausência de Lula em tragédias como enchentes em Angra e Santa Catarina, acidente do Airbus da TAM etc. “Ela acha que dá azar”, revela um ministro.

Ajoelhou…
O DF tem 123 igrejas católicas e 4.700 templos evangélicos com sua montanha de eleitores. Daí o “fervor” da reza dos deputados do mensalão do DEM, exibida na TV pela Durval Barbosa Productions.

The book is on the table
Com sua ambição de, após o mandato, correr o mundo representando o Brasil, Lula já pode ir treinando a tradução do palavreado. ‘Mèrde”, na língua de seu amigo Sarkozy e “asshole”, ou “babaca”, na de Obama.

Ouvido saudável
Entre as 6,3 milhões de ligações recebidas pela Ouvidoria do Ministério da Saúde em 2009, os temas mais recorrente são doenças e orientações em saúde (27,5%). O segundo tema mais frequente é o fumo (22,6%) e em terceiro a gripe suína, com 8,8% das ligações.

Sem chances…
O ex-governador de Ala-goas Ronaldo Lessa (PDT) quer voltar ao cargo e tenta o amparo de políticos como Renan Calheiros (PMDB). Lessa teria dificuldades de registrar a candidatura se vigorasse a lei da “ficha limpa”.

…e com ficha
Ronaldo Lessa foi condenado por abuso de poder no TSE, teve bens bloqueados e, só em uma ação a que responde, o Ministério Público pede de volta R$ 52 milhões para educação que teriam sido desviados.

Os desafinados
Amanhã (25) é o Dia Nacional da Bossa Nova, produto da prodigiosa imaginação e fértil labuta de nossos parlamentares. Quem vai levar o banquinho e o violão para o Congresso?

Mãos à obra
A senadora petista Ideli Salvatti deu uma forcinha ao deputado federal Cláudio Vignati (PT-SC): R$ 5,1 milhões da Caixa para construção de uma ponte em Gaspar. Vignatti é candidato ao Senado. 

Pensando bem…
…depois de “merda” e “babaca”, o presidente Lula é candidato imbatível ao próximo BBB.

PODER SEM PUDOR

O santo nome em vão

Certa vez, a campanha para prefeito de Pirassununga (SP) pegou fogo. No programa eleitoral, o prefeito Fausto Vitorelli (PTB) comparou o sofrimento do seu candidato ao da mãe de Jesus. No dia seguinte, o deputado Nelson Marquezzeli (PTB), que apoia-va outro, apareceu com uma Bíblia nas mãos:
– Li e reli a Bíblia. Não encontrei nenhuma passagem que tenha qualquer relação com o sofrimento do candidato do prefeito… Fez uma pausa e concluiu:
– …só se for onde está escrito que Cristo foi crucificado entre dois ladrões.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation