Política nacional 29/01/2010

“A Dilma é brava. Mulher tem que ser brava mesmo”.

Presidente Lula, defendendo sua candidata à sucessão presidencial.

 No Rio, candidato a desembargador fará prova
Aresolução do Tribunal de Justiça do Rio é inédita: candidatos a desembargador pelo quinto constitucional – advogados e membros do Ministério Público, indicados em lista tríplice – terão que fazer exame comprovando o “notório saber jurídico”. Descontente com os “critérios subjetivos e políticos” dos indicados, que ferem os “princípios constitucionais”, o TJ/RJ exigirá nota mínima de 7, no “vestibular”.

 Fim da boquinha
Um dos desembargadores responsáveis pela resolução, diz que a exigência vai restringir a “boquinha” vitalícia de R$ 25 mil mensais.

De médico e louco…
Tem internauta culpando aquela caixa de isopor na cabeça pela crise de hipertensão de Lula. Pode ser, com aquele calorão…

Muda o filme
Primeiro, o diretor de “Lula, o filho do Brasil” sofreu um acidente de carro. Agora o próprio filho do Brasil parou no hospital. Toc, toc.

Fome zero
A Presidência da República vai gastar este ano R$ 50,4 mil em ração para animais, nas residências do Torto e do Palácio Alvorada.

Controle de ponto
O Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo ameaça recorrer ao Judiciário para suspender a execução de ato do 1º Secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), implantando o controle eletrônico de freqüência, a partir de fevereiro. Segundo Magno Mello, presidente do Sindilegis, a norma valerá pra todos ou não valerá pra ninguém. Alguns diretores da Casa estão dispensados da exigência.

Os escolhidos
O ato do 1º secretário abre brecha para que os senadores possam isentar do controle de ponto quem eles quiserem.

Mãozinha
O ato ajudará os fantasmas e atende o apelo de senadores que, em ano eleitoral, gosta-riam de reforço dos apadrinhados nos estados.

Que remédio…
Já pipoca no Twitter: “ao invés de título de estadista global, Lula recebeu receita de estatina total para baixar o colesterol…”

Tô fora
O ex-ministro Paulo Renato Souza, secretário da Educação em São Paulo, informou à cúpula tucana que não será candidato a deputado federal. Ele anda muito desapontado com a atividade política.

O herdeiro
Com a saída de Paulo Renato da disputa, o tucano Walter Feldman será destinatário de grande parte dos votos das estrelas do PSDB, especialmente aqueles sob influência do governador José Serra.

ONG petista na mira
O Tribunal de Justiça de São Paulo deve decidir na terça (2) se quebra o sigilo fiscal, bancário e financeiro do Instituto Florestan Fernandes, a pedido do Ministério Público. Em 2006, acusou o Instituto de contratos irregulares de mais de R$ 12 milhões na prefeitura de Marta Suplicy.

MP pede ajuda
Procuradores de Justiça no DF têm sido solicitados por promotores do Ministério Público Federal para auxiliar nas investigações da operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. Há muito a investigar, ainda.

Condenado
O Tribunal de Justiça do DF condenou o ex-governador Joa-quim Roriz (PSC) a devolver aos cofres públicos o que foi gasto com um jornal “Nossa Terra”. Para o TJ, pura propaganda com dinheiro público.

Lamúrias presidenciais
Lula se queixou do governador do Amazonas, Eduardo Braga, durante uma conversa reservada no Recife, quinta à noite. Teme que ele esteja entre os “traidores do PMDB” que flertam com o tucano José Serra.

Trair e coçar…
…é só começar: governador de Rondônia, Ivo Cassol (PP), que deseja ser senador, puxou o tapete de Expedito Jr, que sempre o defendeu no Senado, e apóia o vice João Cahulla ao governo. Cassol quer voltar em 2014 e acha que, eleito agora, Expedito será mais difícil de enfrentar.

Maçã podre
Com essa você não contava, Steve Jobs. Esqueça iPhone, iPod e iPad: o governo Lula vai lançar em breve o iPac, o iDilma e o iPhod. E a prefeitura de São Paulo está analisando a criação de um iChente.

Pensando bem…
…com tanto PAC aqui, PAC acolá, Lula quase teve um “peripac”.

PODER SEM PUDOR

O seguro morreu de velho

Prefeito de São Paulo em 1987, Jânio Quadros tinha um hábito peculiar, sempre que se falava no nome do ex-governador Paulo Maluf em seu gabinete. Instintivamente enfiava as mãos no bolso e dizia para seus auxiliares mais próximos:
– Instinto de sobrevivência! Não gosto de surpresas indefensáveis.
Todos caíam na risada. 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation