COMBATE À DENGUE: Prefeitura prepara extensões de atendimento e começa a fazer levantamento a partir de segunda

AADENGUE
A Prefeitura de Rio Branco, por meio da Vigilância Epidemio-lógica da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), já está com tudo pronto para estender a sua estrutura de atendimento no caso de um avanço maior da dengue na cidade. A Vigilância também mantém firme a sua atuação preventiva na luta contra a doença, com visitas constantes dos agentes de ende-mias, extensão do quadro operante deste servidor, arrastões diários aos bairros da Capital e, uma novidade, a elaboração dos LIRAs (Levantamentos do Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti) a partir da próxima segunda-feira.

De acordo com Jeosafá Cesar, diretor da Vigilância Epidemiológica e Ambiental de Rio Branco, as ações estão sendo intensificadas aos poucos em todos os sentidos para diminuir a alta crescente do número de casos na cidade, que atualmente apontam uma média aproximada de 200 notificações por semana. O objetivo deste trabalho, conforme o diretor, é ter reflexos da contenção do avanço da dengue já para o começo de fevereiro.  

Na parte de assistência à população, Jeosafá explica que a alta de atendimento é uma medida prevista no Plano municipal de Contingência Contra a Dengue para ampliar o horário de funcionamento das unidades de saúde. Segundo ele, essa tática será adotada na cidade a partir da próxima semana, caso as ocorrências da doença continuem subindo. A referência para tal planejamento será o Posto de Saúde Barral y Barral, que funcionará das 7 às 22h, posteriormente até 24h de segunda a segunda (se necessário).

“Estamos ainda com uma pequena dificuldade de escala médica. Mas, independente disso, o empenho da secretaria será o máximo possível para superar este obstáculo e executar plenamente as extensões no horário. É muito importante que não falte assistência nesse momento. Vale ressaltar também que todo atendimento de saúde está mobilizado para receber casos da dengue, com reforço às equipes das UPAs do 2º Distrito e do Tucumã, mais 13 centros de saúde e 53 módulos da família”, contou.   

Paralelo a isso, o diretor destacou que a Vigilância está preparando vários reforços para as ações efetivas de prevenção. Entre elas, a Secretaria promove arrastões diários de conscientização nos bairros da Capital, está contratando agentes de endemias para visitar as casas da cidade e destruir criadouros (hoje são 125 agentes, mas a Semsa pretende fechar no mínimo 200 agentes até o fim do mês, reduzindo o ciclo de visitas dos servidores de 60 para 30 dias em cada casa) e começará a fazer os Levantamentos do Índice Rápido de Infestação do vetor (LIRAs) a partir da próxima semana.

“Esse é um estudo muito significativo, porque aponta qual é o índice de infestação em Rio Branco e quais são os bairros de maior incidência. Isso é muito importante porque direciona as nossas ações de combate”, explicou.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation