Pular para o conteúdo

Em 2009, geração de empregos cresceu 3,54% no Estado

O Acre gerou no ano passado 1.969 empregos. Em comparação com 2008, houve um acréscimo de 3,54%. Esse foi, em números absolutos e relativos, o segundo melhor desempenho do Estado na série histórica do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Em 2005, mais de 2,3 mil carteiras de trabalho foram assinadas.
O desempenho da aberturas de novas vagas no Acre em 2009 foi a terceira melhor da região Norte. Em primeiro lugar ficou Rondônia, com um aumento de 14%. O bom desempenho é justificado pelo boom de desenvolvimento com a construção das usinas hidrelétricas do Rio Madeira.  Roraima obteve uma variação positiva de 3,76%, ante o ano anterior.

O Amazonas foi o único estado da região a apresentar resultado negativo na criação de empregos, com uma perda de 1,4 mil postos de trabalho; ou -0,40%. Se a maioria dos estados amazônicos obteve um 2009 positivo na contratação de novos trabalhadores, o mesmo não aconteceu no encerrar do ano. Dezembro foi um mês em que as demissões superaram as admissões.

O Acre, por exemplo, perdeu 1.021 empregos, ou -1,74% quando comparado com o período anterior. Entre as principais causas apontadas pelo Caged para um dezembro vermelho está a entressafra agrícola, o período de chuvas que paralisa uma das principais atividades econômicas do Estado -a construção civil -, as férias escolares e a saturação da bolha do consumo de final de ano.

O comércio foi o único setor da economia acreana que contratou em dezembro. O consumo aquecido da festa natalina possibilitou aos comerciantes assinarem a carteira de 152 trabalhadores.  Com um desempenho negativo a partir do terceiro trimestre, a construção civil já contabiliza quase mil demissões. De acordo com o Caged, entre 2003 e 2009 o Acre criou 6,5 mil empregos formais foram criados.

Variação na geração de empregos em 2009 ante 2008
Rondônia ……………………………………14%
Roraima ……………………………………3,76%
Acre …………………………………………3,54%
Tocantins …………………………………2,84%
Pará ……………………………………….1,34%
Amapá ……………………………………0,35%
Amazonas ……………………………..-0,40%