Mais Educação: escola em tempo integral

JORNAL

Pensando em aumentar as oportunidades de aprendizagem é que o Programa Mais Educação desenvolve atividades agrupadas em macro-campos como acompanhamento pedagógico, meio ambiente, esporte e lazer, direitos humanos, cultura e artes, cultura digital, prevenção e promoção da saúde, educação e comunicação, educação científica e educação econômica, no contra turno dos alunos de escolas públicas.

O Programa Mais Educação atende 7.895 alunos de 48 escolas no Estado, com um investimento de 900 mil reais até 2009. “Esta ação tem proporcionado resultados positivos em termos qualitativos e quantitativos, uma vez que ajudou na diminuição da evasão escolar, na ociosidade do estudante enquanto estava fora da escola, além de contribuir com a erradicação do trabalho infantil ao oferecer educação em tempo integral”, revela o coordenador do projeto no Acre, Dênison Braña.

Esta é uma iniciativa do MEC para recuperar alunos do Ensino Fundamental que estão com notas baixas auditadas pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), através da Prova Brasil. É uma forma de incentivo para alunos com baixo rendimento, problemas comportamentais e que se encontra em defasagem idade/série.

As oficinas têm proporcionado um maior envolvimento dos estudantes nas atividades escolares. “A partir de 2008, quando o Mais Educação foi inserido nesta escola, houve uma diminuição no índice de reprovação, os estudantes apresentaram maior rendimento na frequência e aprendizado. Em 2008, tivemos 36 ocorrências policiais e em 2009 apenas uma, devido a integração do estudante com o ambiente pedagógico”, explica o gestor da Escola Antônia Fernandes, João Lima.

Para qualificar os profissionais que ministram as oficinas do Mais Educação, a Secretaria de Estado de Educação em parceria com Pró-Reitoria de Extensão da Ufac, realizam capacitações direcionadas para cada área do conhecimento, cultura e lazer que são contempladas pelo programa. “O curso de letramento veio contribuir para o aumento da leitura e produção textual, nos oferecendo a oportunidade de trabalhar de forma específica o potencial de cada aluno”, declara a coordenadora do programa na escola Antônia Fernandes e ministrante da oficina de letramento, Márcia Lima.

Os cursos oferecidos pelo programa são: letramento, matemática, futebol, karatê, taekwondo, pintura, desenho, teatro, informática, capoeira, hip hop, voleibol, recreação/lazer, rádio escolar, horta escolar, informática /tecnologia da informação, fanfarra, canto coral, danças, xadrez e agenda 21 orientado pela Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida (Com Vida) que dialoga com as questões ambientais na escola.

Em 2010, a meta é  atender a 10 mil escolas nas capitais, regiões metropolitanas – definidas pelo IBGE – e cidades com mais de 163 mil  habitantes, para beneficiar três milhões de estudantes. O investimento de 2010 no Acre para esta ação será de aproximadamente um milhão de reais. “Ao participar do Mais Educação fiquei inspirado para as aulas do ensino regular, pois temos professores alegres e pacientes que tornam o ato de aprender um ofício prazeroso”, diz o estudante Lucas Henrique, 12 anos, da escola Antônia Fernandes, que atende 480 alunos.

Este é um programa desenvolvido pelos ministérios da Educação, do Esporte, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, da Cultura, da Ciência e Tecnologia, do Meio Ambiente e a Secretaria Nacional da Juventude da Presidência da República. Como resultado dessa articulação, criou-se o Fórum Interministerial Mais Educação. (Assessoria SEE)

ESCOLAA

Assuntos desta notícia


Join the Conversation