Redução de 5% na energia só será embutida no consumo feito a partir de dezembro

Luzzz
Após a entrada em vigor da resolução da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) que reduziu a tarifa de luz no Acre em 5,74%, alguns consumidores insatisfeitos disseram não ter sentido nenhum impacto da medida. Ao invés de baixar, a conta, em alguns casos, chegou mais alta. De acordo com a Eletroa-cre, somente a energia consumida a partir de dezembro do ano passado terá integralmente o abatimento. 

A leitura do consumo de eletricidade nos padrões residenciais e comerciais é realizada diariamente nos quase 200 mil consumidores da empresa. As medidas feitas no último mês de 2009 ainda incluirão os quilowatts hora usados em novembro. “Se uma residência foi analisada no dia 15 de novembro, por exemplo, em 15 de dezembro será feita uma nova leitura para calcular o uso daquele período. O sistema levará em conta tanto o consumo de antes da resolução como depois, e a partir daí chega-se ao valor”, explica Celso Mateus, presidente da Eletroacre.

Além disso, os usuários não têm um consumo mensal contínuo. Ele varia de acordo com o número de eletrodomésticos usados. “Em um mês eu posso usar 200 kwh, no outro pode ser 250 kwh”. De acordo com Celso Mateus, somente as faturas com leituras realizadas a partir desse mês terão a redução dos 5% estabelecidos pela Aneel. “Só agora o consumidor receberá em casa o talão com preço menor, mas sempre levando em consideração os kwh usados”, afirma Mateus.

A redução nas tarifas pela Eletroacre só será possível graças ao fato de o Estado fazer parte do SIN (Sistema Interligado Nacional), que liga o país de Norte a Sul no fornecimento de energia elétrica. “O Acre passou a comprar energia mais barata”, diz o presidente da empresa. Aos poucos, a cara e poluidora eletricidade produzida pelas usinas termelétricas deixará de ser usada pelos acreanos. Economia tanto para o bolso dos clientes como para o meio ambiente, já que menos óleo diesel será usado nas usinas.

Com a redução da Aneel, o Kwh no Acre tem um custo de pouco mais de R$ 0,30. “Quando a empresa passa a adquirir energia mais barata, ela não pode manter a mesma margem de lucro; é preciso transferir a despesa menor para o consumidor também”, diz Mateus. Além disso, a ampliação da interligação energética entre os municípios faz com que haja um dispêndio menor pela Eletroacre, já que aumenta-se o número de consumidores.  

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation