Sérgio Petecão defende ação conjunta contra dengue

Em meio à pausa das visitas que vem realizando ao interior do Estado durante o recesso parlamentar do Congresso Nacional, o deputado Sérgio Petecão (PMN) defendeu ontem em Rio Branco, uma ação conjunta e articulada das autoridades sanitárias municipal, estadual e federal para um maior combate e prevenção à dengue, sobretudo nesta época onde a doença promete retomar a incidência com maior poder de contaminação. “É hora de um esforço conjunto para um resultado mais eficaz e duradouro”, disse o parlamentar.

Petecão lembrou que apesar do Brasil ter registrado ano passado uma diminuição de 46,3% dos casos de dengue no país (406.883 casos em 2009 contra 758.051 em 2008), o Acre vem mantendo a liderança nacional em números proporcionais da doença e figura entre os seis estados onde a doença cresceu não acompanhou a diminuição de ocorrência. Pelo contrário, a dengue no Estado de forma preocupante, assim como no Amapá, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Para o deputado, é inconcebível que o Acre continue na marcha ascendente da doença, “enquanto a grande maioria do Brasil festeja a diminuição das ocorrências. Precisamos encontrar as falhas e  tratar de corrigi-las em tempo”.

Para o parlamentar, é hora de retomar as medidas preventivas, como borrifamento de casas e propagandas nos meios de comunicação para destruição de possíveis focos, “até porque o próprio Ministério da Saúde considera o Acre área de risco, com presença significativa do vetor da doença”. O deputado defendeu ainda um recrudescimento nas ações de prevenção e tratamento, sobretudo por se tratar de ano eleitoral, onde, ainda segundo o Ministério da Saúde, os gestores, preocupados com os votos, costumam relaxar ou diminuir nas ações do setor.

O deputado lembrou também que, apesar do apoio e da ação direta das autoridades sanitárias federais, o Governo do Estado tem responsabilidade pelo aumento do número de casos de dengue como reconhece o Ministério da Saúde. Apesar da situação crítica da doença  no Estado, o deputado  parabenizou a Vigilância Epidemiológica de Rio Branco pelo início do estudo do Índice Rápido de Infestação do Aedes Aegypti. Segundo o deputado, o quadro só vai começar a se reverter quando as autoridades das 3 esferas de governo formarem uma frente única, “pelo menos para tirar Rio Branco da liderança de 17 capitais em situação de alerta para uma nova epidemia da doença”. (Assessoria)

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation