Globo e Band pisam feio na bola em suas transmissões esportivas

Não há nada tão óbvio e elementar, mas sempre é bom lembrar aos nossos distintos diretores de TV que o mais importante numa partida de futebol, vôlei, basquete, tênis, além de outros, é a bola. Se não existir pelo menos uma, não tem jogo. Portanto, marcação cerrada sobre ela.

Enquanto não houver melhor critério nas transmissões esportivas para a repetição de lances, muita gente boa vai continuar se machucando. E foi o que mais se viu, tanto na Globo como na Bandeirantes, neste último final de semana. As duas, em todos os jogos apresentados, pisaram feio na bola.
Virou uma mania: qualquer periguinho de gol, entre outros detalhes, e lá vêm 5 ou 6 replays. Algo que extrapola todos os limites do suportável. Telespectador nenhum aguenta.

Isso quando não mostram, com bola rolando e a mesma insistência, o torcedor no estádio comendo pipoca, limpando o nariz, beijando a namorada ou lamentando um lance perdido.

Esse número exagerado de câmeras, ao invés de ajudar, constata-se, passou a atrapalhar. Parece que existe a obrigação de se utilizar todos os recursos disponíveis.

E, por mais incoerente que possa parecer, hoje, a grande maioria dos narradores e comentaristas faz os jogos dos estúdios das emissoras, acompanhando pela TV. Com os mesmos olhos daquele que está em casa.

Na sobra
 Parece que a Globo não está querendo melindrar ninguém, no caso Caio e Casagrande, por isso passou a escalar sempre os dois comentaristas para as mesmas partidas. Dose dupla. O telespectador agradece, mas não é necessário.

Mesmo porque um nunca discorda do outro. Está bem na base do amém.
 
Dupla infantil tem futuro
 O SBT, tão conhecido por suas mudanças, surpreende por ainda não ter trocado os apresentadores do “Bom Dia & Cia”. Já circularam informações de que Yudi e Priscila deixariam o programa.

Silvio Santos até, numa edição do “Troféu Imprensa”, chegou a fazer graça em cima disso, falando da troca dos dois. Mas eles continuam tocando o programa e têm prestígio na casa. Só devem sair e assumir outras funções por lá, no instante em que a menina Maisa estiver preparada para substituí-los.
 
Falta o sinal verde
 A atual edição do reality “Solitários”, do SBT, fica no ar até final de fevereiro.
Como há chances de o programa seguir na grade, todo o processo de gravação da próxima edição já está pronto na emissora.
Só que falta o mais importante: a autorização de Silvio Santos. De qualquer forma, a equipe do diretor Denis Salles está animada. 
 
Papo que corre
 Chega a informação que o número 1 da Record, Honorilton Gonçalves, antes de viajar para os Estados Unidos e Canadá, assistiu ao primeiro capítulo da minissérie “A História de Ester”.
E gostou. O que também não quer dizer muita coisa nesta altura dos acontecimentos.
 
Com a bola toda
 A gravadora Som Livre – braço fonográfico da Globo – está desenvolvendo um projeto para apresentar o trabalho de Maria Gadú no mercado internacional.
A cantora é uma das atrações da trilha sonora de “Viver a Vida”, com “Shimbalaiê”.

Ficando feio
 Se as novelas retratam com maior intensidade a realidade dos nossos dias, é certeza que determinados valores não são mais considerados.
Nunca teve, fora outras coisas, tanto marido traindo a mulher ou mulher traindo marido como nesses tempos de agora.
Está aí “Viver a Vida”, do Manoel Carlos, mais do que nunca, que não deixa ninguém mentir.

 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation