Política local 04/02/2010

“Sogra devia ter dois dentes: um para abrir garrafa e o outro para morder a língua”.

Frase de pára-choque de caminhão.

Propaganda enganosa
A orelha da candidata a deputada estadual Telma Chaves (PT) ardeu ontem numa roda de deputados da FPA. Saiu no papo que ela, mera burocrata da Associação dos Prefeitos, estaria indo aos prefeitos dizer que as emendas parlamentares só são liberadas com o seu aval e exigindo para isso apoio à sua candidatura, numa propaganda enganosa digna do Procon.

Ameaça velada
Telma Chaves tem o apoio do secretário Gilberto Siqueira e da saltitante turma do Arco-Iris.

Barrado no baile
A direção do PRP rejeitou a entrada do deputado Zé Carlos (PTN) na sua chapa de deputados estaduais. A proposta vetada foi apresentada pelo vereador Raimundo Vaz (PRP).

Acordo embutido
Embutido na proposta de Raimundo Vaz estava a promessa do deputado Zé Carlos (PTN), de apoiá-lo para deputado federal, caso conseguisse seu ingresso na aliança PRP-PRB.

Arrancando os cabelos
O prefeito de Sena Madureira, Wanderley Zaire, tem mesmo que estar arrancando os cabelos com tanta sangria nos cofres municipais: descobriu 128 funcionários que nem moravam no município.

Meter a faca
Não há como administrar sem meter a caneta e demitir esses marajás municipais.

Paulinho danação
O prefeito de Plácido de Castro, Paulinho Almeida, cooptou o núcleo da oposição na Câmara Municipal: os vereadores Socorro (PTN) e Jamislene (PMDB) viraram aliados.

CPI engavetado
Não se sabe qual foi o milagre que comoveu o até bem pouco trio de oposição ferrenha ao Paulinho, o certo é que a CPI que investigava uma compra de combustível foi arquivada.

Única Cajazeira
A única das “Cajazeiras” que não foi atingida pelo milagre, foi a vereadora Laurita, tida pelo prefeito Paulinho como “não confiável”.

Números reais
Os deputados Ney Amorim (PT) e Luiz Tchê (PDT) fizeram ontem  na Aleac uma rápida contabilidade, e chegaram à conclusão que a aliança PT-PDT só elege seis deputados.

Falsa expectativa
Pensar além de meia dúzia, avalia Luiz Tchê (PDT), bom de previsão, é criar falsa expectativa.

Máquinas nas mãos
Nesta coligação existem quatro deputados: Walter Prado (PDT), Tchê (PDT), Ney Amorim (PT) e Chico Viga (PT), que levam vantagem sobre os demais, por terem a máquina do mandato.

Nenhuma Brastemp
As demais candidaturas do PT não são nenhuma Brastemp, se nivelam por baixo: Manuel Lima, Ermício Sena, Itamar Sá, Merla, Geraldo Pereira, Telma Chaves e Gabriel Forneck.

Casa montada
A partir da próxima semana o deputado federal Henrique Afonso (PV) fixa residência em Cruzeiro do Sul e passará a percorrer todo Juruá, debatendo sua candidatura ao Senado.

Outra caravana
A partir de sábado quem estará visitando os municípios do Juruá é o ex-deputado federal Márcio Bittar (PSDB), sedimentando suas bases políticas para a eleição.

Fechado em copas
Sobre ser ou não candidato ao Senado, Bittar diz que só falará deste assunto após o resultado da pesquisa que o PSDB nacional fará no Acre no campo majoritário, após o Carnaval.

Dobradinha montada
Quem também estará embrenhado nos rios do Alto Juruá é o deputado Thaumaturgo Lima (PT), candidato a deputado federal, e o ex-prefeito Itamar Sá (PT), que disputará vaga na Aleac.

Fazer cobrança
O deputado federal Gladson Cameli (PP) deveria ter uma conversa com a direção da TRIP, já que foi o responsável pela sua vinda para o Juruá para corrigir distorções.

Unhas de fora
Quem comprar passagem da TRIP no balcão paga até R$ 579, valor mais caro do que na GOL.

Ação incisiva
O deputado Walter Prado (PDT) está cobrando da PMRB uma indenização de R$ 30 mil para os feirantes que perderam seus pontos no último incêndio no camelódromo para recomeçarem.

Responsável direta
Prado debita à PMRB a responsabilidade direta pela má conservação elétrica do local, que acabou redundando no incêndio. Hoje, Prado reúne-se com os feirantes.

Grande responsabilidade
A Assembléia de Deus tem obrigação de reeleger bem o deputado Hélder Paiva (PR), a partir do momento em que foi escolhido candidato oficial da igreja. É a lógica.

Malária por telefone
Disputa feroz está sendo travada no campo das endemias entre a Capital e o Juruá para ver quem consegue ter mais doentes de dengue e malária, respectivamente. Só em Rodrigues Alves, já são três mil casos de malária registrados. Virou até piada de humor negro. Contam que quem ousar ligar para o minúsculo município, ouve uma gravação em seguida: “parabéns, você acaba de ser premiado com uma malária com duas cruzes, o anofelino já foi enviado pela linha telefônica”.   É as coisas caminham para nova epidemia de malária no Vale do Juruá.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation