Política nacional 07/02/2010

“Quem o engorda o porco é o olho do dono”.

Presidente Lula inaugurando mais uma obra do PAC ao lado de Dilma Rousseff.

Lula teme chapa Aécio-Ciro, se Serra desistir
O que irrita e até apavora o presidente Lula em Ciro Gomes (PSB) não é sua relutância em abandonar a candidatura presidencial, mas a hipótese de o seu ex-ministro da Integração vir a ser o vice do tucano Aécio Neves, diante de eventual desistência de José Serra. Aécio e Ciro têm um pacto de apoio recíproco. E a bênção do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que já avisou Lula da possibilidade.

Nova geração
A chapa Aécio-Ciro, com apoio de Eduardo Campos, que preside o PSB, representa uma proposta de mudança de geração, na política.

Fica, Serra
Lula avalia que foi prematuro o crescimento de Dilma nas pesquisas. Porque ele sabe que isso pode fazer José Serra desistir da disputa.

Ciclotimia
José Serra tem atitude ciclotímica, em relação à disputa presidencial. Alterna euforia com pessimismo. Agora, anda depressivo, amargurado.

Melhor o Senado
Aécio Neves tem horror à idéia de ser vice de Serra. Se Dilma vencer, ele prefere ir para o Senado aglutinar a oposição, de olho em 2014.

PT quer novo…
O PT procura alguém para disputar o governo do Distrito Federal. A cúpula do partido decidiu se livrar da opção pelo ex-ministro Agnelo Queiroz, definida por Lula, por causa de sua intrigante visita ao cafofo de Durval Barbosa. O próprio Agnelo confirmou o encontro à direção do PT, mas disse que apenas assistiu a uma sessão dos famosos vídeos, dois meses antes da Operação Caixa de Pandora. Viu e ficou calado.

Sem surpresas
O PT decidiu “rifar” a candidatura de Agnelo Queiroz para ficar sujeito a vídeos-surpresa da Durval Barbosa Produções, no guia eleitoral da TV.

Problemão
Confirmada a saída de Agnelo Queiroz da disputa, o deputado Geraldo Magela voltou a ser lembrado. Mas ele precisa remover o veto de Lula.

Poço de mágoas
Lula e assessores íntimos como Gilberto Carvalho dizem que Geraldo Magela não foi “correto com o governo”, como relator do Orçamento.

Bolsa-Dilma
Pesquisas dando “empate técnico” entre Dilma e José Serra encontram explicação em locais como Boa Nova (BA), cujo prefeito é “Toinho de Dilma” (PV). Dos 12 mil eleitores, 2.808 (25%) recebem bolsa-família.

Terremoto na cabeça
Segundo a agência France Presse, muitos no Haiti gosta-riam de ser governados pelo tiranete Chávez, pelo ídolo dele, Fidel Castro, ou por Barack Obama. Mesmo com tropa na ONU, ninguém pediu Lula lá.

Como antigamente
O governador tucano de São Paulo propôs que a PM volte a se chamar Força Pública, como o era ao ser criada, em 1831. Virou Polícia Militar em 1970, quando o estudante José Serra corria dela, na ditadura. E invadiu a PUC e prendeu estudantes em Ibiúna (SP).

ONG cai na rede
A ONG Mater Natura, do Paraná, deve ser “expert” em pesca artesanal: no último dia de 2009 faturou com o Ministério da Pesca um convênio de R$ 593,5 mil. Houve outro, de R$ 501,3 mil. Luis Henrique de Lima “se desligou” da ONG ao entrar na ex-Secretaria da Pesca, há 2 anos.

Trocou a tomada…
Prejuízo à vista para quem comprou os novos plugues de três pinos, obrigatórios desde o dia 1º. Inútil em outros países, a novidade foi contestada na Justiça pelo Ministério Público Federal do Paraná.

…entrou pelo cano
O MP entrou com ação contra a União, Inmetro e ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas, pedindo a interrupção da padronização, “sem debatê-la com a população” e gerando “despesas extras”.

Mundo real
A ministra Dilma, que deu a maior força ao mundo virtual na Campus Party, em São Paulo, é ruim de serviço: um leitor espera há vários dias resposta sobre o sumiço da agenda dela no site da Casa Civil.

Homem do vice
O novo diretor da Policia Civil do DF, Pedro Cardoso, é homem de confiança do vice-governador Paulo Octavio. Chefiou as investigações sobre o roubo das jóias da família JK que estavam guardadas no BRB.

Pergunta em bloco
A ministra Dilma vai se fantasiar de Lula, no Carnaval?

PODER SEM PUDOR

À distância ele é ótimo

O presidente Lula gosta de contar a seus ministros que quando era criança dificilmente tinha o que comer em casa, ao contrário da casa da amante de seu pai. Lula sabia disso, e prestava favores à amante em troca de “encher o bucho”: para cada dois litros d’água que carregava na cabeça para a mulher, ele ganhava uma bisnaga. Às vezes sua mãe descobria e lhe aplicava uma “peia”, uma surra. Lembra com um sorriso maroto:
– Mas pelo menos eu apanhava de barriga cheia…

Assuntos desta notícia

Join the Conversation