Política nacional 19/02/2010

“Paulo Octávio praticamente assina sua ficha de desfiliação”.

Deputado Paulo Bornhausen (DEM-SC), após o governador interino do DF ficar no cargo.

Paulo Octávio deixará o DEM por ‘justa causa’
Após a decisão de permanecer no cargo, o governador interino do Distrito Federal, Paulo Octavio, selou sua saída do DEM. E para ficar livre da acusação de infidelidade partidária, evitando represálias legais como a perda de mandato, ele deverá alegar que é vitima de “grave discriminação pessoal”. Essa alegação é prevista na Resolução 22.610, do Tribunal Superior Eleitoral, para desfiliação por “justa causa”.

Rito sumário
Paulo Octávio afirma que é inocente, não há provas contra ele, mas “apenas suspeitas, insuficientes para perda de mandato ou desfiliação”.

Opção
Paulo Octávio disse ter sido obrigado a escolher entre Brasília e o DEM, seu partido: “não tive dúvida em optar pela cidade que amo”.

Rebordosa
Em 2006, Paulo Octávio foi forçado pelo DEM a ser vice de Arruda, com quem não se dava bem. Agora o DEM o ameaça de expulsão.

Para quê?
Perguntaram a Arruda, já preso, se ele renunciaria ao governo do DF. “Para quê? Já estou preso, afastado, constrangido…”, afirmou.

Governador recuou
Há dois dias decidido a renunciar, o governador interino do DF, Paulo Octávio, recuou a caminho do Salão Branco, do Palácio do Buriti (sede do governo), onde jornalistas e secretários aguardavam o anúncio. Ele concluiu que deveria ficar e insistir na formação de um governo de coalizão após conversar com os amigos e confidentes Cláudia Pereira, sua irmã, e o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay.

Primeira a saber
Paulo Octávio comunicou primeiro sua decisão do “fico” a quem mais se opunha à renúncia: sua mulher, Ana Christina, neta de JK.

Apelos
Também influenciaram a decisão de “P.O.” apelos de políticos como o ex-presidente do DEM Jorge Bornhausen, ainda influente no partido.

Pensando bem…
…Brasília tem um governador em exercício e outro sem exercícios na sede da PF.

Com testemunhas
Lula foi simpático, ao receber Paulo Octávio ontem, mas se cercou de testemunhas: o assessor Gilberto Carvalho e os ministros Luiz Barreto (Justiça), Alexandre Padilha e Franklin Martins (Propaganda).

Rato, não
O deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF), secretário de Transportes do DF, explicou sua visita a Arruda: “Nestas horas, os ratos são os primeiros a abandonar o barco. E eu não sou rato”.

O amor é lindo
Divulgou-se que ele atende a um pedido de Lula, mas o ministro Paulo Bernardo (Planejamento) não será candidato para não atrapalhar a mulher, Geise Hoffman. Ela perdeu várias eleições no Paraná, mas tem chances para deputada federal. Desde que o maridão não dispute.

Sorte americana
O Congresso dos EUA terá a maior renovação de sua História, diz o Washington Post. Pelo menos 32 deputados e 11 senadores vão se aposentar ou buscar outros postos. E não se tem notícia de mensalão…

Massagem dolorosa
Visita a família no Rio a jovem que teria massageado o chefe da Defesa Civil da Itália, Guido Bertolaso, num spa em Roma. Com o premiê Berlusconi, Bertolaso está envolvido num escândalo cabeludo de corrupção e sexo.

Bom exemplo
Após 167 dias na cadeia por calúnia e difamação, Luiz Bu-tier – ex-sócio de dois irmãos do ex-governador gaúcho Germano Rigotto – criou a ONG Fui Preso, para reinserir apenados na sociedade.

Atentado ao pudor
A ministra-candidata Dilma Rousseff disse ontem, na abertura do 4º Congresso Nacional do PT, que o partido “ainda tem muito o que mostrar”. Não! Mais do que já mostrou, é cana na certa.

 ‘Jaeroporto’
Em reunião no México, o Brasil se comprometeu com os EUA e outros seis países a reforçar a cooperação e a vigilância nos aeroportos contra o terrorismo. Primeiro precisaria ter aeroportos dignos do nome.

Tô fraco
Para Bento 16, não se justifica roubar e mentir com “fraqueza”. Se ele soubesse como tem político no Brasil definhando na honestidade…

PODER SEM PUDOR

Mensagem para você!

Foi um jogo de empurra: o mensageiro dos revolucionários comunistas de 1935 entregou a ordem para o levante num quartel do Rio, comunicando ao destinatário que lhe passava a tarefa de distribuir cópias aos demais quartéis.
Avisou ter mais o que fazer e ainda desafiou: “se puder, encaminhe; senão pior para vocês!”

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation