Política nacional 24/02/2010

“Não escolhi essa posição, não a almejei, mas não posso fugir”.

Deputado Wilson Lima (PR), novo governador do DF, após a renúncia de Paulo Octavio.

STF: jurisprudência ordena eleição em 30 dias
Decisão unânime do Supremo Tribunal Federal na Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) nº 2709, em 2006, obriga os estados a realizarem eleição indireta no caso de vacância nos cargos de governador e vice em fase final do mandato, como no DF. É o que dispõe o artigo 81 da Constituição. Assim, o presidente da Câmara deve ser obrigado a convocar eleição indireta em 30 dias, no DF.

Lei inconstitucional
A Lei Orgânica do DF prevê que o presidente da Câmara, em caso de vacância, exerça o governo do DF até 31 de dezembro.

Fraco, não
Paulo Octavio diz que renunciou para não ser um governador fraco, sem apoio partidário. “Seria pior que renunciar”, resumiu à esta coluna.

Calada da noite
A carta de renúncia de Paulo Octavio ficou pronta às 2h da madrugada de ontem. O texto foi lapidado a cada frase.

Explicações
Após decidir renunciar, “PO” se explicou à mulher, Ana Christina, neta de JK, que era contra. “Ela é mais corajosa que eu”, confessa.

Envolvimento do PT…
O suposto envolvimento de um deputado federal do PT no escândalo pode ajudar a transformar em pizza, nesta quarta-feira, a CPI criada na Assembléia gaúcha para investigar denúncias contra a governadora Yeda Crusius (PSDB). Nas escutas com autorização judicial da Operação Solidária, da PF, há vários diálogos de empreiteiras tratando de licitações para obras federais do DNIT no Rio Grande do Sul.

Propina em ‘litros’
Nas gravações, empreiteiros fixam propina de “dois litros e meio” a um destinatário. Segundo a investigação, seria o valor de R$ 2,5 milhões.

O ‘Vermelho’
Gravações apontam um “Vermelho que Arde nos Olhos”, fazendo supor que seria o deputado Paulo Pimenta (PT), que não é citado nos autos.

Apenas ilação
O chefe do DNIT-RS, Hideraldo Caron, figura central das investigações, é homem de confiança de Paulo Pimenta, daí a ilação dos políticos.

Gato escaldado
O ex-governador Paulo Octavio temia ser obrigado a “fazer concessões”, no governo, que o colocariam na alça de mira da Polícia e da Justiça. Ficou com medo. Os deputados distritais não são fáceis.

Não dava mais
O deputado Alberto Fraga (DEM), secretário de Transportes do DF, diz que já não aguentava mais as idas e vindas de Paulo Octavio. Coronel reformado da PM, Fraga é intolerante ao que chama de “gente frouxa”.

Há oposição
O líder do PSDB, João Almeida (BA), surpreendeu na Câmara, ontem: atacou o governo. Disse que a ameaça de fiscalizar grandes empresas em ano eleitoral é para coagi-las a generosas doações ao PT.

Sem água
Servidores do Ministério do Meio Ambiente não têm água para beber desde quinta-feira passada: faliu a fornecedora potiguar, situada a 3 mil km de distância. A droga de ministro Carlos Minc não comentou.

Vamos a la guerra?
Pela “união histórica”, o Brasil apóia a presidente Cristina Kirchner – afogada em escândalos e crise econômica – na neobriga com os britânicos pelo petróleo das Malvinas. Com juízo, melhor ir “a la playa”.

Nervos de aço
O Brasil vai doar 1,5 milhão de vacinas contra raiva à República Dominicana, onde vive o presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya. Não se sabe se a ele servirá, mas a nós fará falta aqui. Argh.

Meia palavra basta
O governo de Israel agradeceu, ontem, a oferta de Lula para mediar o conflito com os palestinos na visita a Tel-aviv, em março. Prefere resolver direto com o inimigo. Para quem teve Zelaya como amigo…

Coisa de doido
Mais uma do porralouca Ahmadinejad, do Irã: o último imão do Islã, profeta Mahdi, não reaparece por culpa dos EUA, relata a France Presse. “Salvaria o mundo”. Se o iraniano não acabar com ele antes.

Pensando bem…
…a Arruda só restou se queixar ao arcebispo de Brasília.

 A verdadeira reforma

A ministra Eliana Calmon, do Superior Tribunal de Justiça, participava de um seminário sobre a reforma do Judiciário, no Tribunal de Justiça da Bahia, quando notou que havia uma incrível semelhança nas caras e bocas de juízas sentadas na primeira fila do auditório. Impressionada, a ministra comentou com um desembargador ao lado, na mesa:
– Tenho a impressão que essas juízas fizeram operação plástica com o mesmo cirurgião…
O desembargador não perdeu a piada:
– Ministra, essa é a verdadeira cara da reforma do Judiciário…

Assuntos desta notícia

Join the Conversation