Política nacional 28/02/2010

“Há um cansaço da população em relação à ‘política’ de favores”.

Vice-procuradora-geral, Deborah Duprat, sobre a prisão do governador Arruda, no DF.

BB produz lucro com monopólio nos estados
Os métodos do Banco do Brasil certamente foram importantes para seu lucro recorde de R$ 10 bilhões em 2009:
 no Mato Grosso do Sul, por exemplo, o governador André Puccinelli (PMDB) assinou decreto dando exclusividade ao BB em empréstimos consignados aos servidores, com desconto em folha. Não por acaso, o decreto saiu no Diário Oficial de sábado de carnaval. Só agora os servidores ficaram sabendo.

Briga judicial
A Federação dos Trabalhadores em Educação do MS, que reúne 22 mil servidores, ameaça ir à Justiça contra a medida “monopolista” pró-BB.

Caindo no colo
Com o Morumbi quase descartado, e cronograma atrasado pela crise em Brasília pode definir a abertura da Copa de 2014 no Mineirão.

‘Who cares?’
Abaixo-assinado em Connecticut protesta contra o mau atendimento no consulado em Nova York. O cônsul-geral Omar Chohfi prometeu agir.

Boca de siri
Convocado para depor esta semana na PF, o ex-secretário adjunto de Saúde do DF Fernando Antunes não apareceu. Só os seus advogados.

SP: campanha Alckmin…
A cúpula tucana reunida em São Paulo, esta semana, descartou outras alternativas para confirmar apoio à candidatura mais bem avaliada para disputar a sucessão de José Serra ao governo paulista: do ex-governador Geraldo Alckmin. Na capital paulistana, os dirigentes tucanos aprovaram a proposta de instalar 5 mil comitês residenciais, que serão identificado pela faixa: “Esta família apoia Geraldo. E você”?

Quase iguais
Pesquisas do PSDB em São Paulo mostram que só Geraldo Alckmin rivaliza com José Serra na admiração do eleitorado.

Quase inimigos
O medo de José Serra, abandonando a reeleição fácil, é perder para Dilma e ser obrigado a agüentar Alckmin, que detesta, no governo.

Agora, vice
Após a escolha de Beto Richa para disputar pelo PSDB o governo do Paraná, o senador Álvaro Dias agora sonha em ser vice-presidente.

Tá feia a coisa
O senador Marco Maciel (PE), interventor do DEM no DF, procura por empréstimo uma “lanterna de Diógenes”. Ele enfrenta dificuldades de pinçar pessoas sérias e honradas para recompor o diretório do partido.

Regime fechado
Se amigos de Arruda reclamam do tratamento a ele, seus aliados no presídio da Papuda parecem pior. Além das restrições a visitas, a filha de um deles foi impedida de entregar ao pai roupa íntima limpa.

Piada de mau gosto
Para o senador Gerson Camata (PMDB-ES), a aposentadoria compulsória como punição a juízes corruptos é uma piada. “A condenação deles é R$ 21 mil pelo resto da vida”, ironizou.

Futuro best-seller
O escritor Fernando Mo-raes deve lançar em breve seu livro sobre Antonio Carlos Magalhães, após mais de dez anos de pesquisas e entrevistas. Não foi tarefa fácil. Muita gente vai entrar em surto.

Ops, esqueci
Dia desses, uma garçonete saiu em desabalada carreira do restaurante do aeroporto de Cuia-bá atrás de clientes que não pagaram a conta. Pegou-os na escada rolante. Encabulada, reconheceu-os: o senador Gilberto Goellner (DEM-MT), que pagou a dolorosa, e um amigo.

Crime ambiental
No Tocantins, o deputado estadual Sandoval Cardoso (PMDB) estrela vídeo no YouTube onde posa, armado, e ao lado de uma onça pintada, em extinção, que ele caçou. Ele nem está aí para o crime ambiental.

Capitanias hereditárias
Vai demorar a entrada do Senado na era eletrônica: gastou R$ 42,7 mil em carimbos. Mas o “paft-paft” da burocracia em 2010 será adoçado com açúcar cristalizado, pelo qual pagou R$ 23 mil. “Très chic”.

Fedem e cheiram
A Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes constatou o aumento expressivo de laboratórios de drogas no Brasil. Nada falou das “drogas” produzidas pelas campanhas eleitorais que nos viciam.

Esterco federal
O governo Lula quer criar uma nova estatal para produzir fertilizantes. Não faltará matéria-prima se começar com material orgânico. 

PODER SEM PUDOR

Ensino caça-níqueis

O ex-procurador-geral da República Cláudio Fontelles recebeu certa vez o então presidente nacional da OAB, Roberto Busato, e ambos discutiram a qualidade do ensino jurídico no país. Fontelles, que também é professor universitário, contou uma piada que retrata com fidelidade a situação do ensino em muitas faculdades consideradas “caça-níqueis”. Um cidadão – contou Fontelles – entrou por engano na secretaria de uma faculdade. Ao notar o erro, pediu desculpas ao funcionário que imediatamente, sem pestanejar, sentenciou: “não tem desculpa. O senhor já está matriculado”.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation