Pular para o conteúdo

Defesa Civil Estadual faz reunião prévia para discutir conferência

A Coordenação Estadual da Defesa Civil (Cedec/AC) promoveu ontem uma reunião prévia para discutir vários pontos sobre a primeira Conferência da instituição, que será realizada em Rio Branco, provavelmente no dia 23 deste mês, uma terça-feira, para debater sobre a importância e a atuação deste órgão junto à sociedade acreana. A coordenação apresentou aos seus parceiros (CBM/AC, Sema, Imac, PM, Exército, MPE/AC, Seplan, Sesacre, Sejusp, etc) envolvidos na realização do evento, conforme o previsto no decreto 4.976 de 26 de janeiro de 2010.

Segundo o ten-cel. CBM João de Jesus Oliveira, secretário-geral da Cedec/AC, foi discutido na ocasião um pré-roteiro de planos operacionais sobre o evento, como o horário, os assuntos, os palestrantes, o local exato e o custo que será aplicado para a sua realização. Para adiantar, o comandante contou que a conferência estadual reunirá as Defesas Civis municipais de todo o Estado e será feita com o objetivo de convocar o povo acreano para que as pessoas ajudem no trabalho que é feito pelo órgão.

“A conferência daqui já tem um norte de tratar as principais diretrizes da Defesa Civil no nosso Estado, que foi algo já bem estabelecido pela organização do encontro nacional, a ser realizado no final de março. São três sentidos básicos que guiam o nosso trabalho: a prevenção/preparação, resposta e reconstrução. Na primeira parte, há de se ressaltar o quanto é importante prevenir bem a nossa entidade e a própria população contra qualquer tipo de situação ruim. Na segunda, demonstraremos o quão rápida deve ser a nossa resposta para os males que afetam a sociedade civil. Por fim, trataremos do nosso papel como reformadora de grandes prejuízos sociais”, detalhou o secretário.

O coronel Oliveira também ressaltou que a expectativa da Cedec/AC é de convocar um bom público para a conferência. Isso porque, explica ele, será uma grande chance de esclarecer melhor o real significado do trabalho deste órgão à comunidade, em especial, para a sociedade civil organizada e para os empresários locais.

“A população precisa saber quem nós somos de verdade. O que fazemos e como ela pode nos ajudar. Muitos acham que Defesa Civil e bombeiros são as mesmas coisas. Isso não é verdade. A Defesa Civil, como prega o termo, compreende ações contra todo e qualquer tipo de sinistro, desde alagação, queimadas, epide-mias de dengue e todas as outras coisas que estejam tirando a paz social do nosso Estado. Cada pessoa pode e deve ser um agente pela Paz Civil. O que pretendemos é estimular cada um a fazer a sua parte pela segurança geral e nos ajudar até a criar uma política pública de Defesa Civil”, destacou o comandante.