Desmatamento cai pela metade na Amazônia em um ano, aponta Inpe

inpe

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, divulgou nesta terça-feira (2) a redução de 49% no desmatamento da Amazônia no período de agosto a novembro de 2009, comparando com os mesmos meses de 2008. De acordo com o ministro, é uma queda acentuada sobre um ano que já tinha registrado recorde de redução de desmatamento.

De agosto a novembro de 2009, o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) registrou 1,14 mil km2 de desmatamento, contra 2,24 mil km2 no mesmo período de 2008.

De acordo com Minc, se o país continuar com esse ritmo, a Amazônia pode fechar o ano com 3,5 mil km2 de desmatamento, cumprindo com dez anos de antecedência a meta para 2020.

A meta brasileira, coordenada pela ONU, é quebrar 80% do desmatamento na Amazônia até 2020, tomando como base a média de desmatamento entre os anos de 1996 e 2006.

Outubro e novembro

Outubro e novembro impulsionaram os bons resultados de 2009. De acordo com as imagens registradas via satélite do Inpe, houve uma queda de 72,4% de desmatamento. Nesse período foram desmatados 247 km2 de floresta amazônica, contra 890 km2 do mesmo período de 2008.

Campeões

Pará ainda é o Estado onde há maior área desmatada de floresta amazônica, mas também apresentou em novembro a maior redução do desmatamento, de 82%. Em novembro de 2009 teve cerca de 40 km2 desmatados, contra 221 km2 em 2008.

Em segundo lugar está o Maranhão, com uma redução no mês de novembro de 65%, passando a ter 18 km2 desmatados. Mato Grosso teve queda de 80%, passando a uma área desmatada em novembro de 8 km2.

Intervenções como a operação Boi Pirata 2 e a operação Arco Verde, realizadas pelo Ibama, foram grandes responsáveis pela redução, afirmou Minc. “Triplicamos as fiscalizações na região”, disse o ministro. (Folha Online)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation