Pular para o conteúdo

Peão de fazenda é assassinado no município de Senador Guiomard

peao

Moradores do Ramal Triunfo, zona rural do município de Senador Guiomard, encontraram na manhã desta terça-feira, 02, o corpo do peão de fazenda conhecido pelo apelido de “Nena” dentro de uma residência na Colônia Paraíso das Flores.

A vítima foi assassinada a golpes de terçado e teve a garganta degolada, perfurações na cabeça e peito.

Segundo o que a polícia de Senador Guiomard, conseguiu apurar “Nena” estava trabalhando na Colônia há cerca de 30 dias, ele morava na companhia do ex presidiário Francisco Julião Nascimento de Lima, 21 anos, que desapareceu e é apontado pela polícia como o principal suspeito do crime.

Segundo informações de um homem identificado pelo nome de Aluisio que se apresentou como sendo o pai de Julião, ele contou aos policiais que a vítima e o filho teriam discudido e que na tarde de segunda-feira, 01, Julião foi até a residência de Aluisio e contou sobre a briga mostrando a mão ferida com um corte de faca que segundo ele teria sido ferido por “Nena”.

Por causa da briga Francisco Julião mandou “Nena” ir embora, e na manhã de terça-feira, 02 o corpo foi encontrado dentro da casa onde eles moravam e Julião sumiu.

Segundo informações da polícia Julião e “Nena” respondem processos por crimes de roubo e furto.

peao_2 peao_3
Criminoso lavou a casa e o corpo antes de fugir

A cena do crime estava alterada, pois apesar do corte profundo na garganta da vítima não havia manchas de sangue. Peritos do Instituto Médico Legal e Instituto de Criminalística descobriram que o local foi lavado supostamente na tentativa de despistar a perícia.

Ao lado da casa, foi encontrada uma mangueira ligada a uma bomba de um poço e as tábuas do assoalho estavam molhadas. Além disso, ao lado do corpo havia poças de água, mas não havia sangue.

A polícia tenta capturar Francisco Julião, principal suspeito de ser o autor do crime, uma vez que somente ele pode esclarecer o que aconteceu na colônia e qual a motivação para o crime, já que vítima e suspeito eram amigos.