Política local 05/03/2010

“Cansei de adular o PSDB para uma aliança, agora, é cada um para seu lado”.

Deputado federal Flaviano Melo (PSDB).

Casa de ferreiro
O deputado Manoel Moraes (PSB), para agradar o governador Binho Marques, danou-se ontem, em discurso na Aleac, a enaltecer a coleta de castanha e a produção de borracha como base para desenvolver o Acre, malhando a pecuária, esquecendo que é um dos grandes fazendeiros de Xapuri, na base da casa de ferreiro, espeto de pau.

 Fichas jogadas
Quem conversa com o deputado federal Sérgio Petecão (PMN) sai impressionado com a sua convicção de disputar o Senado, apostando que só Jorge Viana (PT) está eleito.

Pesquisas completas
Para sustentar sua tese exibe duas pesquisas feitas em todo Estado por um instituto de Manaus, nas quais o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) surge com baixos índices.

Novos dados
Espera a conclusão de nova pesquisa este final de semana e de outra encomendada pelo deputado federal Gladson Cameli (PP) para pedir o apoio do PSDB ao seu nome.

Cantando de galo
O senador Geraldo Mesquita (PMDB) vai ter nesta eleição a grande oportunidade de provar se foi eleito pela força dos irmãos Jorge e Tião Viana ou pelo prestígio pessoal.

Muito corajoso
O máximo que se pode dizer é que só por um milagre político conseguirá a reeleição.

Superfaturados
A cúpula do PMDB joga com a contabilidade da legenda do partido à Câmara Federal chegar aos 50 mil votos, o que garantirá a reeleição tranqüila de Flaviano Melo.

Tática manjada
Como fez em relação ao Restaurante Popular, quando se apossou da idéia do Governo Federal, o vereador Jessé Santia-go (PSB) tenta clonar o projeto de venda dos boxes da PMRB.

Paternidade
A paternidade do referido projeto é do vereador Astério Moreira (PSB).

Perde todas
Não consigo ver onde estão esses votos do Tião Bocalom (PSDB) para ganhar o governo, que tanto alardeiam seus aliados, já que ele perdeu feio para governador e PMRB.

Única vitória
A única eleição que ganhou, apertado, foi para prefeito da minúscula Acrelândia.

Esquema
Muito comentado o esquema milionário (estrutura para disputar o governo) do candidato a deputado estadual pelo PT, Jonas Lima, o “homem das cooperativas”.

Cabos-eleitorais
Reclamavam ontem parlamentares da base do governo que o “new riquinho” acreano está “comprando” a peso de ouro os cabos-eleitorais dos outros candidatos.

Piracema de nomes
São hoje candidatos ao Senado pela oposição: João Correia (PMDB), Geraldo Mesquita (PMDB), Márcio Bittar (PSDB), Lage (DEM), Sérgio Barros (PSDB) e Petecão (PMN).

Correr para o abraço
Com essa enxurrada de candidatos, estratégia burra, a oposição vai jogar pela janela a chance de ficar com uma das vagas de senador, meta que nunca esteve tão acessível.

Jogo indireto
Com a decisão do PMDB de lançar dois candidatos ao Senado, seus dirigentes fazem o jogo do PT e PCdo B. O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) ri e fica agradecido.

Sem birra
A oposição não entendeu ainda que política não se ganha com birras individuais.

Mais de dez anos
É errado e inócuo atacar o ex-governador Jorge Viana por esta sua viagem pelos rios e igarapés do Vale do Juruá, porque há mais de 10 anos ele faz este trajeto.

Tomar decisão
O ex-prefeito de Senador Guio-mard, Celso Ribeiro (PR), tem que se definir no apoio aos aliados do PR, se quiser de fato cobrar o troco na próxima eleição de prefeito.

Fogo amigo
E o ex-deputado federal Júnior Betão (PR), se quiser ter chance de ser eleito no chapão da FPA, tem que combinar com os “cumpanhêros” para não desmoralizá-lo.

Só não de santo
Na campanha passada seus aliados da FPA montaram contra ele uma campanha de desmoralização. Não passou tempo demais para que tenha esquecido o episódio.

Aliança encaminhada
O deputado Hélder Paiva (PR) dá como bem encaminhada uma aliança do seu partido com o PCdoB para disputar vagas na Aleac, o que favoreceria sua reeleição.

Seguro morreu de velho
O deputado Ney Amorim (PT) comentava ontem que nunca viu o deputado Hélder Paiva (PR) trabalhar tanto numa eleição para se eleger como na atual.

Santa burrice

Não é impossível Rodrigo Pinto (PMDB) ou Tião Bocalom (PSDB) derrotar o senador Tião Viana (PT) ao governo, porque impossível não existe em política, mas, é muito improvável que isso venha acontecer. Tião é o favorito disparado. E com sua burrice de pulverizar candidaturas ao Senado, a oposição joga no lixo a chance concreta de eleger um senador, e dá de graça as duas vagas do Senado à FPA. Nossa Senhora da Burrice!

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation