Política local 17/03/2010

“Em política, o importante não é ter razão, mas que a dêem a alguém”.

Konrad Adenauer,  ex-chanceler alemão.

Faz parte do jogo
Adeputada Antonia Sales (PMDB) protestou ontem com adjetivação pesada contra o ex-governador Jorge Viana (PT), por supostos ataques deste ao prefeito de Cruzeiro do Sul, Wagner Sales (PMDB), durante recente viagem ao Alto Juruá. A deputada devia deixar os melindres, porque, no jogo político, quem entra em campo está sujeito a receber caneladas.

 Nem por isso
Ninguém é mais atacado do que o ex-governador Jorge Viana, e nem por isso os deputados de oposição devem sofrer reprimendas, porque foram eleitos para isso e não para bajulá-lo.

Sem dedos
E quando Jorge ou outro petista dá a resposta também não é para ficarem cheios de dedos. Na política, quem bate tem que sempre levar um saco grande para trazer o troco do adversário.

Fim de melindres
Oposição e governistas têm que entender de vez que estão numa atividade onde o debate duro é da democracia. Afinal, os políticos não foram eleitos para atuar num mosteiro budista.

Base encurralada
A tônica na Aleac vem sendo a oposição dominar os debates e encurralar a base governista, onde a única voz que se levanta para defesa da FPA é a do deputado Moisés Diniz (PCdoB).

Falsa impressão
Quem vai pela primeira vez na Aleac sairá com a falsa impressão que a bancada de oposição, ao invés de minoritária, tem uma ampla maioria, tal intensa é a sua atuação na tribuna.

O que se vê
O que se vê é o bom deputado Moisés Diniz (PCdoB) só no meio do tiroteio. E ainda tem burocrata do governo que o critica (ele sabe disso) por não defender bem Binho Marques.

Falta de respeito
Há muito tempo, os defensores públicos são humilhados pelo governo. Agora chegou o ápice: em Cruzeiro do Sul, além da atuação jurídica, têm que diariamente fazer a faxina do prédio.

Santa ironia
A deputada Idalina Onofre (PPS), que fez a denúncia, pincelou uma ironia, ao revelar que o defensor Dr. Alberto, um dos novos faxineiros, é parente do deputado Moisés Diniz (PCdoB).

Não acredito!
Ontem, ao ser anunciada a ida do líder do PT, deputado Ney Amorim, à tribuna, jornalistas presentes ao “aquário” da Assembléia Legislativa, reagiram em peso: Oh! My God, ele fala!

Bagunçando o trânsito
O Rbtrans passou a dificultar o estacionamento de veículos de quem vai fazer compras no mercado central, bagunçando o que funcionava sem nenhum entrave antes de sua ação.

Não se lembram
De fiscalizar ônibus sujos, que não cumprem horário, buscar parcerias com o Detran para desafogar os engarrafamentos no Centro da cidade que é bom, o Rbtrans não se manifesta.

Obra para o futuro
O prefeito Angelim pensou grande e de forma moderna ao implantar o Ceasa, um modelo que deu certo em outros municípios. Se o Acre mal produz cheiro verde e couve não é culpa sua.

Outro mote
A oposição sempre taxa Tião Viana (PT) de “perseguidor”. Devem procurar outro mote para lhe atacar: como alguém que só atuou na medicina e legislativo pode perseguir alguém?

Serve para que?
Afinal, a Secretaria de Agricultura do governo serve para que mesmo? E aí não vai nenhuma culpa ao secretário Mauro Ribeiro, já que para o governo, a agricultura não é prioridade.

Sugestão dada
O deputado N.Lima (DEM) fez ontem um veemente apelo ao governador Binho: que aceite os constantes pedidos da secretária de Segurança, Márcia Regina, para deixar o cargo.

Por mérito
Se for por mérito, pela sua atuação incisiva e corajosa, se tem um deputado que no campo da oposição merece ser reeleito é o deputado Luiz Calixto (PSL).

Sério candidato
Basta dar uma olhada na chapa para deputado federal da FPA que se chegará a conclusão que o presidente do PT, Leonardo Brito, é sério candidato ao “rabagésimo”  lugar.

Artigos impecáveis
Belos, bem feitos e bem fundamentados os artigos da historiadora Fátima Almeida que são publicados pela GAZETA. São peças de liberdade de expressão que devem ser lidas.

 Mato sem cachorro
O tucano Tião Bocalom (PSDB) está num mato sem cachorro: se insistir no apoio a Sérgio Barros (PSDB) ao Senado, pode preparar dois caixões, libras de vela preta e contratar o coveiro.

Dupla de baleados
Candidato a governador tem que ter um nome a senador que puxe votos. Candidato baleado como o Bocalom, se colar num outro baleado como Sérgio Barros, está morto de véspera.

Passando em branco
O deputado Manoel Moraes (PSB), prestes a passar o mandato para o titular, o deputado Delorgem Campos (PSB), não vai deixar saudades na Aleac, onde não se destacou.

 Nada resolvido

A conversa de ontem em Brasília entre o deputado federal Sérgio Petecão (PMN) e o ex-deputado federal Márcio Bittar (PSDB) acabou como começou: sem definir quem dos dois será candidato ao Senado. Petecão ouviu de Bittar que vai esperar o resultado da pesquisa nacional do PSDB este mês antes de dar a palavra final. Uma pista que sonha ser indicado pela direção nacional tucana. Restou a Petecão dizer que continuará a campanha. E ficou só nisso. 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation