Política local 23/03/2010

“Errar é humano. Culpar outra pessoa é política”.        

(Hubert H. Humpherey)

Malas afiveladas
Dependendo da conversa que tiver hoje, em Brasília, com o deputado federal Flaviano Melo (PMDB), o deputado federal
 Sérgio Petecão (PMN) pode comunicar em seguida ao presidente do PSDB, Tião Bocalom, que está deixando a aliança com os tucanos e levando o PMN para a coligação com o PMDB. O PSL do deputado Luiz Calixto tende ir junto. E neste contexto só restará ao PSC de Antonia Lucia vir também para não ficar sem chapa para a Câmara Federal.

Únicas exigências
As únicas exigências a serem feitas por Sérgio Petecão (PMN) são que os partidos que o acompanharem tenham abrigo numa coligação propor-cional com os peemedebistas e que a coligação lance apenas dois candidatos ao Senado e que uma vaga seja dele.

Vai para o brejo
Acontecendo esta engenharia, a candidatura de Tião Bocalom (PSDB) ao governo se desidrata por completo, ao mesmo tempo em que a candidatura de Rodrigo Pinto (PMDB) pega vento.

Virtude e erro
Tião Bocalom (PSDB) tem como virtude ser obstinado, mas, politicamente, é um elefante numa casa de louças, conseguindo brigar com todos os aliados e colecionando dezenas de desafetos.

Providência tardia
A entrada em cena do Conselho Político do PSDB, integrado pelos prefeitos de Feijó, Dindim (PSDB) e James Gomes (PSDB) pode estar chegando tarde para evitar o naufrágio tucano.

Tentando retomar
Os integrantes do Conselho Político conversaram no fim de semana com Márcio Bittar (PSDB), o nome de mais voto no partido, que foi fritado por ranço pelo grupo de Tião Bocalom (PSDB).

Conversa franca
Segundo boa fonte, o grupo deve viajar a Brasília para ter uma conversa com a direção nacional, mostrar a realidade e discutir uma estratégia para evitar um desastre nas urnas.

Fim melancólico
No atual contexto, tudo caminha para a novela tucana ter um fim melancólico: no palanque do PSDB, apenas Tião Bocalom candidato ao governo e Sérgio Barros disputando o Senado.

Nomes garantidos
Fernando Melo, Gladson Cameli, Perpétua Almeida (Henrique Afonso se decidir disputar a reeleição), da atual bancada federal são nomes com passaporte da reeleição garantido.

Demais vagas
As demais vagas da FPA, que deverá eleger um mínimo de cinco deputados federais, pela ordem de favoritismo serão disputadas por Thaumaturgo Lima, Sibá Machado e Jessé Santiago.

Cabo-eleitoral
Este processo de tombamento de imóveis em curso pelo governo é um forte cabo-eleitoral da oposição. Numa seleta roda neste fim de semana, só ouviu-se ameaça de retaliação nas urnas.

Ciscando para fora
A FPA tem em Tião Viana (PT) uma forte candidatura ao governo, favorita até aqui, mas existe gente dentro da sua aliança que ainda não entendeu que em campanha não se cisca para fora.

Cascudo armado
Comentário de ontem numa roda de vereadores sobre as críticas do vereador Cabide (PTC) contra Nepomuceno Carioca: “o Cabide está doido para levar um cascudo do Carioca!”.

Não conheço
Fora Jorge Viana, durante minhas três décadas de jornalismo político, não conheço um ex-governador que conseguiu manter a sua popularidade incólume fora do cargo.

Isso é incontestável
Pode-se não gostar de Jorge Viana por uma série de motivos, mas ninguém pode contestar que derrotou todos os caciques da política acreana e se tornou numa liderança de ponta.

DNA político
Junior Fleming (PTB) é um dos nomes da pequena lista de candidatos qualificados disputando uma vaga de deputado estadual. É filho de Iolanda Lima e do saudoso Geraldo Fleming.

Chapa montada
O PMDB fez a sua festa no último fim de semana no Juruá e conseguiu unificar todos os prefeitos da região em torno das candidaturas majoritárias e proporcionais do partido.

Nome contabilizado
A cúpula nacional do PCdoB (deu na revista VEJA desta semana) contabiliza como certa a eleição do deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) na disputa do Senado.
 
Fazer número
Até dentro do PT, o nome de Telma Chaves é visto apenas com um complemento da chapa para a disputa de vagas na Assembléia Legislativa.

Mulheres em baixa
Falando no sexo feminino, todos os partidos estão com dificuldade em conseguir preencher as vagas exigidas pela Justiça Eleitoral com mulheres.

Não importa
Se ele vai continuar no cargo, se vai haver nova eleição, pouco importa, mas que o prefeito de Sena Madureira Wanderley Zaire provou ser um bom gestor até aqui, isso nem se discute.

Chapão do PT
Os deputados Hélder Paiva (PR), Zé Carlos (PTN) e Dinha Carvalho (PR) vão ter que se juntar na coligação PT-PDT, porque as demais alianças da FPA temem abrigá-los e perder vagas.

Sem temor
Sem o menor temor de errar: da chamada “bancada do batom” na Assembléia Legislativa, a deputada Idalina Onofre (PPS) foi a que teve uma atuação mais incisiva na tribuna.

Abrigo natural

Essa corrida do PMN e de outros partidos, até aqui abrigados na aliança puxada pelo PSDB para se aninhar no PMDB, tem razão de ser: o PMDB tem comando, traça rumos, ao contrário dos tucanos, envoltos em conflitos internos intermináveis. Não há como chamar os partidos em debandada de traidores ou outras pechas: a direção do PSDB está colhendo o que plantou.

 

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation