Política nacional 04/03/2010

“Não adianta empurrar, empurrado eu não vou”.

Aécio Neves, parafraseando o avô Tancredo, sobre a vaga de vice na chapa de Serra

Justiça avalia prisão domiciliar para Arruda
O Supremo Tribunal Federal deverá negar por unanimidade, nesta quinta, o julgamento do habeas corpus do governador afastado do DF, José Roberto Arruda, que se encontra preso desde 11 de fevereiro na superintendência regional da Polícia Federal. A avaliação é da defesa de Arruda, que a rigor alimenta apenas a esperança de que o STF ou o STJ, que a decretou, determine prisão domiciliar, sob a guarda da PF.

Isolamento
A prisão domiciliar, admitida ontem menos por um ministro do STF, incluiria cuidados como proibir que Arruda tenha acesso a telefonemas.

Rotina
Repercutiram muito no STF informações sobre a rotina de Arruda no cárcere. Por isso ganhou força a idéia de prisão domiciliar.

Memorial
O memorial entregue ao STF pelo advogado Nélio Machado, elogiado pelos ministros, foi considerado insuficiente para reverter a prisão.

Até o fim do mês
Mantida a preventiva, Arruda ficará preso pelo menos até o fim do mês, quando acaba a fase de instrução penal, que ele é acusado de obstruir.

Minas: Hélio Costa…
Articula-se em Minas Gerais uma chapa forte: o ministro Hélio Costa (Comunicações), do PMDB, como candidato ao governo de Minas e o deputado Virgílio Guimarães (PT) o seu vice. Ao disputar a presidência da Câmara com apoio do baixo clero, Guimarães foi derrotado pelo PT paulista: o então ministro José Dirceu lançou Luis Eduardo Greenhalgh e, dividido, o PT entregou a rapadura para Severino Cavalcanti.

Jogando a toalha
O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) disse a um colega que já não acredita que José Serra vai ser candidato a presidente.

Ultimato
FHC vai sugerir hoje à cúpula tucana, que se encontra em Minas, para dar um ultimato a José Serra: ele teria até segunda (8) para se decidir.

It’s not verdade
Não, é mentira que o técnico Joel Santana foi convidado para intérprete oficial do encontro Hillary-Lula ontem, em Brasília. Ele está “off” dessa.

Eurides topa acareação
A deputada distrital Eurides Brito (PMDB), que se recusou a renunciar como forma de não correr o risco de cassação, aceitar uma acareação com Joaquim Roriz. Ela revelou que foi o ex-governador quem mandou Durval Barbosa entregar o dinheiro que ela aparece metendo na bolsa.

Campanha de ouro
O senador tucano Marconi Perillo revelou a amigos, em um restaurante de Brasília, que Educação será o lema de sua campanha para voltar ao governo de Goiás. Acha que vai gastar de R$ 45 a R$ 50 milhões. Uau.

Dialogo dos Josés
José Sarney despreza José Serra, a quem atribui a implosão da candidatura da filha Roseana a presidente, em 2002, mas ontem foi gentil, durante a homenagem a Tancredo Neves: “Li seu artigo…” Serra se interessou: “Gostou?” Sarney mentiu descaradamente: “Muuuuito…”

Fogueira pronta
No governo Lula, quase todos os órgãos têm contrato com uma destas empresas: Engemil, FJ Produções e Queiroz Garcia. Quem atua em nome delas é Matheus Menezes, de costas quentes no alto escalão.

Espanhou da CPI e…
Com a saída de Paulo de Tarso, da Matisse, uma das agências da Secretaria de Comunicação da Presidência, vai mandar na publicidade federal Mauro Motoryn, que escapou por pouco da CPI dos Correios.

…ganhou poder federal
Mauro Motoryn era íntimo de Henrique Pizzolato e Mauro Guimarães, figurões que o fizeram faturar alto no Banco do Brasil com a agência Ogilvy, junto com Marcos Valério. Ele dirige a agência 141, da Ogilvy.

Perdeu, contribuinte!
Um leitor gaúcho, que movimenta conta poupança na Caixa com Mastercad, foi surpreendido com taxa de R$ 0,65 por jogo na loteria.
Como jamais cobraram, acha que foi “sorteado” Otário do Mês.
 
Doutora gari
A prefeitura de Manaus ganhou uma gari doutora: Valdisa Gomes, 35, formou-se em Administração de Empresas e agora sonha atuar na área administrativa da Secretaria de Serviços Públicos. Merece a chefia.

Pensando bem…
…apoiando notórias ditaduras, Lula está querendo é ganhar uma cadeira elétrica na ONU.

PODER SEM PUDOR

O homem da Alca atrás

O bloco Pacotão, de Brasília, que atormentou a ditadura com suas sátiras políticas, lançou o CD com a música-tema do Carnaval 2004. “O homem da Alca atrás” ironizou impiedosamente o presidente Lula:
– “Churrasco, pelada, cerveja gelada/ Caipirinha e aguardente/ Eu sou o homem da Alca atrás/ Luta de classe nunca mais/ Meu negócio é ser presidente, churrasco (bis)/ Eu gostava era de greve/ De passear, festejar e agitar/ Por isso eu me aposentei/ Comprei um Boeing só para viajar, churasco…/ Eu nunca fui esquerdista, socialista, comunista ou radical/ Isso é coisa do capeta/ Sou do FMI e a favor do capital, churrasco…”

Assuntos desta notícia

Join the Conversation