Política nacional 13/03/2010

“O importante é obra com começo, meio e fim”.

José Serra, cutucando o presidente Lula, que não verá a conclusão de suas obras.

 Cooperados: Bancoop mentiu à Justiça
Oadvogado Valter Picazio Jr., que representa centena de cooperados, vai denunciar ao Departamento de Inquéritos Policiais e ao promotor José Carlos Blat, que a Ban-coop – acusada de desvio de até R$ 100 milhões para o PT – cometeu “fraude processual”, ao alegar na Justiça que o bloqueio de bens, a pedido por Blat, “inviabilizaria acordo com o Ministério Público”. Blat foi derrotado, e Picazio nega qualquer acordo. 

O calendário pirou
O alegado “acordo”, segundo o advogado das vítimas, prevendo até indenização, ficou só na data, que expirou em setembro de 2009.

Só fraude explica
Envolto nas brumas do esquecimento, eis que volta ao divã o aloprado petista Freud Godoy e sua firma de segurança. Desta vez na Bancoop.

Direito de morar
Vítimas da Bancoop participam na quarta (17) de audiência pública na Comissão de Defesa dos Direitos Humanos do Senado.

Mãe Dinah
O jornal israelense Haaretz chamou Lula de “profeta do diálogo”. Sua última “profecia” foi a “marolinha” – que derrubou o PIB.

Dilma veta mansão
A candidata a presidente Dilma Rousseff interveio no processo de aluguel de quatro mansões para instalação dos principais núcleos de sua campanha, revelado ontem nesta coluna, e vetou a mais cara delas, à beira do lago Paranoá, de 2 mil metros quadrados de área e aluguel de R$ 50 mil mensais, com píer para lanchas e espaço para heliponto, a fim de que Lula entre e saia sem passar por repórteres.

Sem luxo
Dilma achou a mansão escolhida “um exagero”, mas pediu que encontrassem outra, com características idênticas, mas sem tanto luxo.

O marqueteiro
Lula se acha um expert em campanhas políticas e decidiu participar intensamente até mesmo da concepção dos programas gratuitos.

Lorota
Em uma rádio do Paraná, o presidente Lula voltou à velha ladainha: “Se ela for candidata” etc, referindo-se a Dilma. Assim ele mata a coroa.

Sem sentido
Jefferson Luis Kravchychyn, do Conselho Nacio-nal de Justiça, defende pena mais severa a magistrados que cometem crimes. “Aposentadoria compulsória”, criada no regime militar, para ele, perdeu sentido.

Não é a primeira vez
Em 2007 o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, arquivou um inquérito do Ministério Público Federal, contra o presidente do Banco Central, Henrique Mei-relles, por “inexistência de elementos suficientes”. Ele era acusado de enviar dinheiro ao exterior ilegalmente.

Superfaturamento no DF
Para se ter idéia do superfaturamento praticado no governo do DF, em nova licitação para empresa de segurança na Secretaria de Saúde, esta semana, a vencedora apresentou proposta R$ 40 milhões menor do que a atual contratada.

Tempo fechado
Jornalões publicaram on-tem o que os leitores desta coluna sabiam desde a véspera: Lula resiste à indicação de Wagner Rossi (Conab) para o lugar de Reinhold Stephanes no Ministério da Agricultura.
 
Força do hábito
Primeiro Lula goza com a cara do governador, José Serra, ao dizer que “tem gente inaugurando até maquete”, como fez o tucano. Depois do constrangimento que causou, Lula volta ao seu bordão: “eu não sabia”.

Ex-vice-reitor camelô
O Sindicato dos Professores do Ensino Privado do Rio Grande do Sul diz que o ex-vice-reitor da Universidade Luterana do Brasil, Leandro Becker, é um dos administradores do Camelódromo de Porto Alegre. A Vara Federal de Canoas cobra dívidas de R$ 3,5 milhões da Ulbra.

Mudança de Casa
Com o aval do ex-marido, o deputado-presidenciável Ciro Gomes (PSB-CE), a senadora Patrícia Saboya (PDT-CE) deve ser candidata a uma vaga de deputada federal.

Pela mulher
O senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) aproveitou para pedir esta semana avanço na criação do Juizado Especial Cível da Mulher. É para agilizar processos de paternidade, guarda e pensão alimentícia.

Pergunta estatística
Nesse PIB pífio está incluído o PIC – Produto Interno da Corrupção?

Poder sem pudor

Governador babão

O ex-governador da Paraíba Cássio Cunha Lima ficou surpreso com uma enorme foto do presidente Lula que viu certa vez no gabinete do cearense Lúcio Alcântara (PSDB). Cássio, que era o tucano mais próximo de Lula, brincou:
– Quando acabar, eu é que sou o babão!…

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation