Política nacional 19/03/2010

“Nem toda passeata é do bem”.

Deputado Ibsen Pinheiro, criticando a passeata para manter todos os royalties no Rio.

Defesa de Jefferson faz acusações a Barbosa
Luis Francisco Corrêa Barbosa, advogado do ex-deputado Roberto Jefferson, presidente do PTB, encaminhou petição ao ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal, queixando-se do relator do caso do mensalão do PT, Joaquim Barbosa, acusando-o de “ocultar” da própria Corte importantes recursos, sem submetê-los ao plenário do STF ou interpretando-os como meras questões de ordem.

Validade questionada
Na petição ao STF, o advogado de Roberto Jefferson diz que a atitude de Joaquim Barbosa interfere “na validade e regularidade” da ação.

Outra reclamação
A queixa da defesa de Roberto Jefferson se juntou à argüição de suspeição apresentada por Marcos Valério contra Joaquim Barbosa.

Suspeição argüida
Marcos Valério reclamou de “antecipação de juízo” porque teria sido citado por Joaquim Barbosa como “expert em lavagem de dinheiro”.

Manifestação
O ministro Gilmar Mendes já encaminhou a argüição de impedimento ao próprio Joa-quim Barbosa, para ele se manifestar.

Desenganado
Há um ano, o vice José Alencar fez exames no MD Andersen, centro de excelência no Texas, e o médico americano, com a brutalidade característica, o desenganou: ele tinha poucos meses de vida e que, no máximo, poderia “planejar sua morte”. Alencar fixou o especialista nos olhos: “O Sr. sabe muito, mas não sabe tudo”. Fez tratamento comum no Brasil, padrão quase SUS. Ontem anunciou que se sente curado.

Óleo derramado
Foram tantas as mensagens contra e a favor da emenda dos royalties que a caixa-postal do deputado Ibsen Pinheiro (PMDB-RS) estourou.

Preservação
O senador Gilvan Borges (PMDB-AP) elogiou a preservação de 92% da flora do Amapá. Nos demais 8% estão cidades, fazendas, rodovias etc.

Quibe louco
Contaminado pelo “vírus da paz”, o mote de Lula mudou: sai o “Nunca antes” e entra o “Nunca Hamas”.

A coisa é feia
O corregedor-geral do governo do DF, Haendel Fonseca, fez chegar ao governador Wilson Lima que ficou estarrecido com os relatos das ameaças atribuídas ao secretário de Transportes, Gualter Tavares Neto, a empresários que denunciaram irregularidades em sua pasta.

Outra testemunha
Cristóvão Cardoso, da Associação das Fabricantes de Placas para Veículos do DF, vai contar hoje o que sabe ao Ministério Público sobre ameaças até de morte do secretário de Transportes e no Detran do DF.
 
Foi só o começo
O delator Durval Barbosa prestou depoimento de cerca de sete horas, apenas sobre as suspeitas contra os procuradores Leonardo Bandarra e Deborah Guener, do Ministério Público do DF e Territórios.

Mais trinta dias
A pedido da Procuradoria Geral da República, o ministro Fernando Gonçalves, do STJ, deve prorrogar por trinta dias o prazo do inquérito da Caixa de Pandora. E, em princípio, a prisão de Arruda também.

Brasília às escuras
A CEB, estatal de energia de Brasília, persegue o ex-diretor da Polícia Federal Vicente Chelotti: na quarta, no trabalho, ele corria contra prazo exíguo, e lá se foi a energia. À noite, o apagão o impediu de torcer pelo Inter, na TV. E ontem, a luz acabou quando se submetia a endoscopia.

Utilidade
O senador Paulo Paim (PT-RS) quer os recursos do fundo social do pré-sal drenados para a Previdência. Segundo ele, este seria um meio de beneficiar os 26 milhões de aposentados e pensionistas do país.

Túnel do tempo
O certificado de registro e licenciamento de carros zero, do Detran do Rio de Janeiro, exige pagamento do IPVA e DPVAT nas agências do Banerj. O banco acabou há mais de dez anos.

Mega-empreendimento
O empresário João Carlos Paes Mendonça apresentou no Recife o projeto do Riomar Shopping, o maior centro de compras e de entretenimento do Nordeste. Terá mais de quinhentas lojas, três torres empresariais e investimentos de mais de meio bilhão de reais.

‘Monuglota’
Se Lula conseguir ser secretário-geral da ONU, co-mo ele tanto deseja, está garantida a boquinha do companheiro tradutor.

PODER SEM PUDOR

Padre é um perigo

Políticos da Bahia contam uma velha história do interior, ocorrida nos anos 50, quando adversários de um padre candidato a prefeito o ameaçaram de revelar a lista dos filhos que ele fez nas redondezas, caso mantivesse a candidatura. Confessor das mulheres dos adversários, ele respondeu:
– Meus adversários podem até dizer quem são meus filhos na cidade, mas eu entrego os nomes de todos os que não são filhos deles…
Manteve a candidatura e foi eleito.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation