Presas irão receber atendimento jurídico no Dia da Mulher

Neste 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, um grupo de 23 profissionais da Defensoria Pública do Acre se deslocará ao presídio feminino de Rio Branco para saber se as mulheres que estão sob custódia do Estado estão sendo tratadas de acordo com o que a lei estabelece. “O atendimento vai ser personalíssimo, vamos conversar com cada uma delas e fazer os devidos encaminhamentos”, garantiu a Defensora Pública Geral, Angélica Maria Silveira Lopes.

Segundo ela, o mutirão será composto por uma equipe de 23 profissionais, sendo 10 defensores, 10 esta-giários e três assessores jurídicos. O atendimento começará às 8h da manhã. Munidos de computadores portáteis, os defensores vão registrar todas as queixas das presidiárias.

A partir de um formulário padrão que será repassado às presas, a Defensoria pretende montar um banco de dados do presídio feminino. Segundo Angélica Maria, cerca de 120 mulheres devem ser atendidas durante o mutirão.

Essa é a segunda vez que a Defensoria Pública realiza um trabalho do gênero. O primeiro mutirão ocorreu há dois anos e atendeu a homens e mulheres presos. Também está nos planos da Defensoria fazer um mutirão só para os presos.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation