Troca de provas pode prejudicar concurso da Funai no Acre

A candidata Josineila Maria Rocha Veras entrou em contato com A GAZETA, ontem, para denunciar que houve troca de provas durante a realização do concurso da Fundação Nacional do Índio (Funai), ocorrido domingo. Josineila disputava uma das oito vagas de Agente em Indigenismo destinadas para o Acre e o Sudoeste do Amazonas.

Afirma ter realizado o teste na sala 004, na Escola Estadual Neutel Maia, na Avenida Nações Unidas, em Rio Branco, no horário da manhã, destinado aos candidatos do ensino médio. Segundo ela, passados 15 minutos da entrega da prova, quando inclusive algumas pessoas já tinham dado início a resolução das questões, um candidato percebeu que a prova estava errada.

“Eles nos entregaram a prova da tarde, destinada aos candidatos com nível superior. Após ser comunicado o fiscal chamou o coordenador, que conferiu a prova e percebeu o erro”, revela a candidata, acrescentando que o erro persistiu na segunda remessa de testes entregues aos candidatos.

“Não só eu, mas todas as pessoas que estavam na sala 004 da Escola Neutel Maia podem confirmar essa informação. Depois ficamos sabendo que esse mesmo erro houve em outros locais da prova”, garante.

Para a candidata, esse tipo de falha não pode ficar impune, pois além de roubar um tempo precioso dos candidatos, favoreceu aqueles que iriam prestar o exame à tarde, haja vista que eles tiveram acesso aos questionários e ao tema da redação.

Outro agravante, segundo ela, é que a prova objetiva e a redação são de caráter eliminatório. Josineila disse também que, apesar de não ter procurado o Ministério Público Federal para comunicar o ocorrido, está disposta a prestar esclarecimentos caso seja convocada.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation