Justiça nega pedido de Habeas Corpus para professor acusado de violentar aluno de seis anos

O professor Antônio José da Silva, da Escola Samuel Barreira, acusado de abusar sexualmente de um aluno de seis anos, teve o pedido de Habeas Corpus negado pela Justiça e agora é considerado foragido.

elnega
A delegada Márdhia El-Shawwa afirma que o professor teve chances de se defender mas preferiu fugir

Segundo informações da delegada Márdhia El-Shawwa, do Núcleo de atendimento a criança e adolescente vítima, o professor Antônio já teve a prisão preventiva decretada e a Polícia possui provas técnicas e testemunhas contra o professor.

Márdhia El-Shawwa afirmou que o professor teve todas as chances de se defender das acusações, mas preferiu fugir e pode ser julgado a revelia.

Na segunda-feira, 22, o professor Antônio José entrou em contato com uma emissora de televisão local, onde por telefone negou a prática do crime e disse ter medo de ser assassinado dentro do Presídio.

O professor afirmou que está sendo vítima de uma trama, e que está disposto a realizar exames médicos que comprovaram que é inocente. ”Eu temo ser exposto na mídia e ser encaminhado para o Presídio, todos sabem o que acontece naquela local a quem é acusado de abusar sexualmente de uma criança. Tenho testemunhas que comprovam minha inocência” disse o acusado em entrevista.

A delegada Márdhia disse que é impossível submeter o professor a um exame, como ele tanto deseja se ele não se apresentar e que a fuga dele não vai livrá-lo do processo e até de uma condenação.

Quanto ao medo do professor de ser morto no Presídio, a delegada afirmou que o estado oferece todas as garantias de integridade física dele, mas é preciso que ele se apresente, caso contrário só complica ainda mais a situação dele.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation