MP Eleitoral aciona Jorge Viana por propaganda eleitoral antecipada

O Ministério Público Eleitoral no Acre entrou junto ao Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC) com representação por propaganda eleitoral antecipada contra Jorge Ney Viana Macedo das Neves por ter, em entrevista conduzida pelo apresentador Alan Rick, no programa Gazeta Entrevista, exibido pelo canal 11 (Rede Record), utilizado de dois “blocos” do programa para fazer campanha eleitoral e divulgar sua candidatura ao Senado, bem como a de seu irmão, Tião Viana, ao Governo do Estado, nas eleições gerais deste ano.

A representação, assinada pelo procurador eleitoral auxilar Ricardo Gralha Massia, demonstra os momentos da entrevista nos quais Jorge Viana, sabidamente pré-candidato ao Senado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), aproveitaria para anunciar as candidaturas e pedir o apoio da população nas eleições, conclamando a população a segui-lo, no que ele denomina de jornada de volta à política.

Por ter o pré-candidato também feito referências à ministra Dilma Rousseff, foi encaminhada cópia do procedimento ao procurador-geral Eleitoral para apuração de possível propaganda antecipada para o pleito presidencial.

A representação pede, em caráter liminar, que o material seja retirado do site da emissora na internet, bem como em outros sites, ainda que postados à sua revelia. Além disso, pede também a condenação de Jorge Viana ao pagamento da multa de R$ 25 mil, prevista como patamar máximo no parágrafo 3º do artigo 36 da Lei n.º 9.504/97. (Ascom MPF)

Ex-governador estranha processo e diz que não foi notificado
Procurado pela reportagem, o ex-governador Jorge Viana disse ter sido surpreendido, ontem, com a informação de que estava sendo processo pelo Ministério Público Eleitoral no Acre no Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC) por suposta prática de propaganda eleitoral.

Jorge Viana disse que não tinha como falar de um processo que desconhecia, já que até o final da tarde de ontem não fora notificado da ação, mas disse estranhar a razão do processo: uma entrevista que concedera ao jornalista Alan Rick, da TV GAZETA.
“Sinceramente isso me surpreende. Mas é estranho que esse seja o motivo da representação. Será que não se pode mais dar entrevista no Acre?”, questionou o ex-governador.

Segundo ele, a entrevista a Alan Rick foi feita após receber convite da produção do programa e que lá, tão somente respondeu às perguntas que lhe foram feitas pelo jornalista. “Não vejo nenhum crime nisso, já que apenas respondi o que me foi perguntado, mas não posso me posicionar do que não fui notificado. O que sei é que respondi a todas as perguntas dentro da lei”, disse.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation