Como se explica?

Já não é tão elogiado o desempenho do Mateus Solano (foto) em “Viver a Vida”. Só pela metade.
Está bem em um personagem e completamente destrambelhado no outro. Peca pelo exagero. Cadê o diretor?

Mateus
A TV denuncia mas não enxerga os seus próprios problemas
Não é a primeira vez que esta questão é colocada e, certamente, para tristeza de muita gente não será a última.
A televisão, em seus telejornais, invariavelmente apresenta denúncias sobre falta de rebaixamento de guias, rampas de acesso para cadeiras de rodas, além de outras providências que atendam os deficientes físicos. Importante este trabalho.

“Viver a Vida”, do Manoel Carlos, pela personagem da Alinne Moraes, dentro do que é possível, também tem prestado um grande auxílio e chamado a atenção das autoridades.

Mas é bom que a TV, com o mesmo cuidado, passe a olhar pra dentro dela. Ou para a parte que lhe toca. São muitos os programas, novelas e filmes, em todas as emissoras, que insistem em não colocar legendas. Algo tremendamente frustrante para quem necessita deste tipo de recurso, o deficiente auditivo.
Por que não tornar isso uma obrigação?

Custa?

Tudo a ver
No SBT, já há quem entenda que o Pelé, antes de estrear os seus boletins da Copa do Mundo, deve passar por um necessário “banho de loja”.
Considerando a roupa do último programa da Hebe, que mais parecia um pijama, tem todo sentido.
 
E aí?
O assunto da vez nas rodinhas globais é a falta de bons artistas para atender todas as produções da casa.
Mas, por exemplo, o que acontece com o Dan Stulbach? O seu nome nunca mais apareceu em nenhuma novela ou seriado. É castigo ou o quê?
 
Vai indo
“Uma Rosa com Amor” continua tocando a sua vidinha no SBT.
Está apenas no segundo mês e muita gente boa ainda vai entrar na história. A partir da semana que vem, a personagem da Clarisse Abujanra e, na outra, a da Maria Cláudia.

Convenção
Sob o comando de Willy Haas, diretor geral da Central Globo de Comercialização, a Rede Globo irá realizar a sua convenção anual, a partir de domingo até quarta-feira, no hotel Bourbon, em Foz do Iguaçu.
“Vencedores” é o tema do encontro.
 
Mais tempo no ar
“Sansão e Dalila”, uma das novas minisséries da Record, com adaptação de Gustavo Reiz, terá uma duração no ar superior a de “A História de Ester”.
Em vez de 10, serão 15 capítulos. Este é o plano. Direção-geral de João Camargo.

Primeira e última
A passagem da Suzana Vieira em Pernambuco, contratada pela produção da Paixão de Cristo, não foi tão gloriosa – como a princípio se esperava e nem tampouco simpática.
Destacou-se, dizem, “pelo preconceito e grosseria no trato com as coisas da terra”.
Comportamento bem diferente, também se informa, de Eriberto Leão, Mauro Mendonça, Paulo César Grande e Dig Dutra.

BATE E REBATE

* As chuvas no Rio comprometeram seriamente os trabalhos da Globo, durante todo o dia de ontem. Projac às moscas.

* Ou será que nem elas conseguiram chegar?

* Ana Maria Braga foi uma que enfrentou verdadeira aventura para apresentar o “Mais Você”.

* Monica Iozzi está cada vez melhor e mais solta no “CQC”. Verifica-se agora o acerto na sua escolha.

* A Globo está com um esquema armado para o Tiago Leifert apresentar, aqui no Brasil, durante a Copa da África.

* “Central da Copa” é o título da atração, na qual o Tiago ajudará o público a se informar de maneira divertida, num cenário moderno e com vários recursos tecnológicos.

* Kalled Adib, superintendente de operações da Rede TV!, desembarcando hoje em Las Vegas. Foi pra feira.

* Luciano Szafir, se não for convocado pela Record, tentará a sorte no cinema. Tem possibilidade de fechar um trabalho no exterior.

* Segundo a Globo, Selton Mello ainda não bateu o martelo para gravar “A Cura”, seriado de João Emanuel Carneiro.

* Triste ver como o Otávio Augusto está sendo mal aproveitado em “Tempos Modernos”. Tem cena que entra mudo e sai calado. Como pode?

* Rede TV! entrando, ainda em caráter experimental, na cidade de Angra dos Reis.

C´est fini

Meus pêsames ao Ratinho pela triste idéia de dar vez ao assassino da Daniela Perez.
Em troca de miseráveis pontos de audiência, verifica-se, ainda existem pes-soas que se submetem a qualquer coisa. Lamentável.
Como foi um domingo atípico – Páscoa, programa de estreia, ressaca de BBB -, o pessoal do “S.O.S. Emergência” pretende esperar um pouco para ter uma resposta mais precisa do público sobre o programa. Deu 16 na estréia.
Então é isso. Mas amanhã tem mais. Tchau

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation