Gazetinhas 13/04/2010

* Final de semana daqueles.

* Primeiro, a sandice, a irrespon-sabilidade de um PM que saiu dirigindo bêbado pela cidade e o final só poderia ser o que ocorreu:

* atropelou e matou um pedreiro, um trabalhador, que vinha do mercado.

* Outro fato e este da série de coisas que só acontecem no Acre: 

* o Air bus da TAM, que atolou no pátio do aeroporto de Rio Branco e teve que ser guinchado por um trator.

* Se bem que esta não é a primeira que um avião atola aqui no Estado.

* Na década de 70, um Boeing da Vasp também atolou no antigo aeroporto do Segundo Distrito.

* Outro, na decolagem, atropelou e partiu ao meio uma vaca que atravessava a pista.

* Por último, a prisão do administrador da Funai que veio moralizar o órgão aqui no Estado e estava sendo acusado e procurado em Mato Grosso por desvio de recursos públicos e formação de quadrilha.

* Eu, heim?

* Na política, com o lançamento da candidatura do tucano José Serra, no final de semana, os palanques começam a se armar também aqui no Estado.

* A propósito, a Justiça Eleitoral e os próprios partidos ou frentes partidárias precisam chamar a rapaziada que vai dar o primeiro voto para tirar o título.

* Já é quase metade de abril e o prazo termina no começo de maio.

* A moçada precisa participar do processo e não só ficar na frente do computador ou nas baladas ou ouvindo Lady Gaga.

* Empresários e políticos acreanos, que embarcaram ontem, vão passar três dias sacolejando dentro do avião para chegar à China.

* Muita gente reclamando da demora do atendimento nos cartórios da cidade – agora privatizados.

* Um cidadão, que precisa constantemente dos serviços, dizia ontem que está levando mar-mitex ou uma rapadura.

* Segundo ele, porque tem certeza de que não sairá antes do meio-dia para carimbar um simples documento.

* Com tudo informatizado, não há motivos para tanta demora.

* Passando aqui nos altos deste matutino a arquiteta e urbanista Soad Farias Franca, acompanhada do filhão André, para falar sobre seu livro “A Expansão da Fronteira Acreana”.

* Um trabalho rigoroso de muita pesquisa, ilustrado com muitos mapas, gráficos e fotos, muitas das quais desta GAZETA.

* Pessoal reclamando que, além do cheiro-verde, o preço do jambu também disparou no mercado.

* É grave, porque sem jambu, não tem tacacá, pato-no-tucupi, risoto de pato no tucupi.

* Droga! Tinha que ser de novo esta praga.

* Nada, não, leitor. É ‘aquele time’ outra vez nos calos do Fogão.  

Assuntos desta notícia

Join the Conversation