Política local 07/04/2010

“Big Brother de pobre é buraco de fechadura”.

Frase de pára-choque de camunhão.

Civilidade nos debates
Oposição é para criticar, cobrar do governo, afinal, para isso seus parlamentares foram eleitos. O deputado N.Lima (DEM) cumpre bem este papel. Mas, ontem, pisou na civilidade ao agredir o deputado Moisés Diniz (PCdoB) com palavras como “safado, vagabundo” etc e etc. O que é pior: fora do plenário e contra um adversário que pauta os seus debates com respeito.

Limite da tribuna
Tenho acompanhado a trajetória do Moisés Diniz: quando se exalta, volta à tribuna e pede desculpas. O deputado N.Lima (DEM), quando sentar a cabeça, deveria fazer o mesmo.

Erro terrível
Mas, Moisés pisou na bola em canonizar Zé Dirceu, que responde no STF como “chefe da quadrilha do mensalão”, enquanto os deputados do PT se, calados estavam, calados ficaram.

Conversa com os homens
O subcomandante da PM, coronel Paulo César, vai ter uma conversa com a Procuradoria Regional Eleitoral, sob acusação de fazer campanha para seus candidatos no quartel da PM.

Representação no MPE
O deputado Luiz Calixto (PSL) está denunciando-o no MPE Eleitoral, segundo ele, por reunir os sargentos e pedir votos para seus  candidatos Thaumaturgo Lima (PT) e Ermício Sena (PT).

Denúncia pública
Ontem, Calixto fez a denúncia na tribuna da Aleac e anunciou as providências no MPE.

Bom para a ética
É uma figura humana maravilhosa. A política e a ética ganham com a candidatura da ex-procuradora geral do Estado, advogada Nazaré Oliveira (PT), a deputada estadual.

Sem expressão
Sua candidatura prende-se a uma convocação feita pela direção petista para que preencha e dê qualidade à chapa do PT, no espaço reservado às mulheres pela legislação eleitoral.

Paciência esgotada
Os colonos só abandonaram ontem o recinto da prefeitura de Brasiléia após a prefeita Leila Galvão ter liberado as máquinas para consertar os ramais, todos eles, em petição de miséria.

Como certa
O grupo do ex-deputado federal Márcio Bittar (PSDB) dá como certo que a executiva nacional tucana decidirá esta semana pela aliança com o PMDB, o que mudaria o quadro majoritário.

Como São Tomé
Como Tião Bocalom (PSDB) tem sete vidas, prefiro ver para crer uma intervenção no Acre.

Padrinho forte
Aliados de Tião Bocalom (PSDB) alardeiam que a intervenção não sairá porque têm essa garantia do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, suposto padrinho do ex-prefeito.

Chapa fechada
Enquanto a oposição não se entende, a FPA está com a chapa majoritária fechada: Tião Viana (PT) para governador e Jorge Via-na (PT) e Edvaldo Magalhães (PCdoB) ao Senado.

Para valer
Após muitas idas e vindas, o vereador Astério Moreira (PSB), que disputará uma vaga na Aleac, fechou acordo esta semana  de apoio mútuo com o deputado federal Gladson Cameli (PP).

Campanha de queimação
Sandoval Menezes, assessor do empresário Janaldo, atribui a adversários a queimação que vem sendo feita à candidatura deste à Aleac, de que é espião do PT, para queimá-lo.

Ditado antigo
Amigo Sandoval, minha avó já dizia que quando se fala muito ou é ou está para acontecer.

Candidatura carimbada
Há meses, a coluna publicou que a segunda vaga estava carimbada para o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB). O deputado Henrique Afonso (PV) insistiu na sua candidatura porque quis.

Que nem pinto
O deputado federal Sérgio Petecão (PMN) voltou mais alegre que pinto com fome em prato com ração, após uma visita ao município de Tarauacá, onde acredita que terá grande votação.

É natural
É explicável se ele tiver boa votação em Tarauacá, porque lá é uma Faixa de Gaza: onde o PCdo B  estiver, o grupo do prefeito Wando Torquato (PP) estará contra. 

Perda de tempo
O deputado federal Sérgio Petecão (PMN) dizia ontem que mesmo se a cúpula nacional do PSDB impor o nome de Márcio Bittar (PSDB) ao Senado, ele não retira sua candidatura.

Contabilidade socialista
Na contabilidade do presidente do diretório municipal do PSB, Evandro Rosas, seu partido fará dois deputados estaduais e vai brigar por uma terceira cadeira.

Questão séria
A oposição terá muitas dificuldades em levar o senador Tião Viana (PT) para o canto do ringue na campanha, porque não existe nele um queixo de vidro no qual se boxear.

Chapa de peso

A FPA conseguiu dar a volta por cima e montou uma chapa para a Câmara Federal que pode tranqüilamente eleger cinco deputados. Nomes como Gladson Cameli (PP), Perpétua Almeida (PCdoB), Henrique Afonso (PV), Fernando Melo (PT), Thaumaturgo Lima (PT), Sibá Machado (PT), Jessé Santiago (PSB), Leonardo Brito (PT), Idésio Frank (PT) e Júnior Betão (PR) são a garantia de chegar a este número sem muita dificuldade.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation