Política local 09/04/2010

“A fé, mesmo quando profunda, nunca é completa”.

 Máxima do pensamento árabe.

Vinculação inexistente
Pela leitura diária da coluna dá para perceber que não sou integrante da “fila do gargarejo” do governador Binho Marques. 

 Isso me deixa em situação cômoda para dizer que os deputados de oposição falseiam a verdade ao debitar à falta de ação de sua gestão, as várias prisões de funcionários governamentais com drogas em veículos oficiais. O Estado tem cerca de 40 mil servidores. Como saber, como impedir, que alguns usem ou vendam drogas?

Decisão sábia
Márcio Bittar (PSDB) me ligou no início da tarde para dar em primeira mão que, independente da pesquisa do diretório nacional, de aliança com o PMDB, não disputará mais o Senado.

Vergonha na cara
Esta foi uma sábia decisão. Durante todo o processo de escolha foi humilhado, pisoteado, fritado pelo presidente Tião Bocalom (PSDB), mesmo sendo o nome de mais votos no partido.

Sandice política
É o mínimo que se pode dizer da aposta de alguns deputados da coligação tucana de que o deputado federal Flaviano Melo e o PMDB virão “pelo beiço” por falta de alternativa.

Chapa pronta
O PMDB não tira a candidatura de Rodrigo Pinto ao governo, nem dos seus dois candidatos a senador, e erra quem pensa que não tem nomes para compor chapa própria à Câmara Federal.

Descartado na hora
Na última conversa esta semana em Brasília, entre Flaviano Melo (PMDB) e Sérgio Petecão (PMN), este ouviu que no processo atual não terá o apoio do PMDB em hipótese alguma.

Idiotice em alto grau
É  idiotice em alto grau de integrantes da coligação tucana em menosprezar a força do prefeito de Cruzeiro do Sul, Wagner Sales (PMDB), sob a alegação dele estar desgastado.

Eleitor maior
O prefeito Wagner Sales (PMDB) é hoje a maior força eleitoral do Juruá. Mostrou isso na eleição, quando liso, derrotou a milionária candidatura da FPA do Zinho Santos (PP).

Medida prática
O deputado Walter Prado (PDT) deu uma sugestão para acabar com a farra do uso de carros oficiais fora do expediente: “a polícia apreender os veículos que não portem autorização”.

Driblando a oposição
A candidata a deputada federal, Antonia Lucia (PSC), anda dando uma no cravo e outra na ferradura: jura fidelidade à oposição e janta com o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB).

Ponte de ligação
As conversas giram em torno dela pedir o primeiro voto à candidatura de Sérgio Petecão (PMN) ao Senado no meio evangélico, e direcionar o segundo voto para o comunista.

Nem que tussa
O ex-deputado federal João Correia (PMDB) descarta até conversar sobre a retirada da sua candidatura a senador para beneficiar o deputado federal Sérgio Petecão (PMN).

Nenhuma influência
O fato da candidatura do Tião Bocalom (PSDB) ter sido homologada na executiva nacio-nal, não influi em nada no favoritismo do petista Tião Viana (PT) na disputa do governo.

Dobro de preferência
Em todas as pesquisas feitas Tião Viana (PT) coloca o dobro da preferência sobre Bocalom.

Pisou na cabeça
A deputada Idalina Onofre (PPS) desmoralizou o grupo de Airton Rocha, ao conseguir na direção nacional do PPS o aval à sua decisão de apoiar Sérgio Petecão (PMN) a senador.

Site oficial
E com Nota Oficial da executiva  no site nacional do PPS ratificando a decisão de Idalina.

Ficha suja
A posição do deputado federal Gladson Cameli (PP) em prometer votar a favor do “projeto ficha suja”, que proíbe a candidatura de condenados pela Justiça, é elogiável.

Marcar posição
Mas, no fundo vai servir só para marcar posição porque a maioria dos deputados federais irá empurrar a votação com a barriga e a aprovação da matéria é uma hipótese muito remota.

É um tiro
Há uma faceta da personalidade do prefeito de Sena Madureira, Wanderley Zaire (PP), que lhe favorece no meio da população: o fato da sua palavra ser um tiro e cumprir o que promete.

Currículo vermelho
Recebi e-mail do candidato a deputado federal Idésio Frank (PT) enumerando pontos da sua campanha, seus projetos, e a gama de apoio que diz ter no setor produtivo à sua candidatura.

Outra história
Idésio tem um belo currículo profissional: se isso vai se transformar em votos é outra conversa. O fato de ser o petista mais antigo na chapa da FPA não quer dizer muito.

Barrigada jornalística

Jornais deram ao dirigente do PSDB recém falecido, Milton Inácio, um título que nunca teve em vida, o de “Senador da República”. Na verdade, o Milton era chamado carinhosamente de “senador” por ter participado na década de 80 de um comercial com o palhaço Dinho Gonçalves, em que ele encarnava o personagem “Senador Sidney Farney”.  O Dinho deve estar dando gargalhadas homéricas com a barrigada política de alguns colegas da  imprensa.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation