Política local 21/04/2010

Ironia grosseira
“Quem não tiver barco, que então atrevesse a nado”. A sugestão dada pelo diretor-geral do Deracre, Marcos Alexandre, aos deputados que o indagaram o que fazer para cruzar o Rio Caeté, em Sena Madureira, após a interdição da ponte recentemente inaugurada, por problemas nos pilares, no mínimo é uma ironia grosseira. Como ocupante de cargo público, o que se esperava dele era ouvir que exigiria na Justiça a reparação da obra pelos construtores.

Sejamos sensatos
Que o comando da Segurança ainda não deu as respostas que a
 sociedade espera é verdade, mas, não é sensato deputados da
 oposição responsabilizar por omissão na emboscada que matou um agente penitenciário. É um fato imprevisível que ninguém não se pode prever.

Nada a perder
O deputado Walter Prado (PDT) disse ontem que são tensas há tempo as relações entre agentes penitenciários e os presidiários. Se não houver uma paz, fatos graves podem ocorrer.

Nada a perder
Essa moçada que começa agora uma carreira no serviço público como agente penitenciário tem um futuro pela frente, já os presidiá-rios nada têm a perder: isso deve ser levado em conta.

Não cumpre
Agora num ponto os agentes penitenciários têm razão de se revoltar: muito do que foi acertado na última reunião da categoria com os emissários do governo não foi cumprido.

Frase emblemática
O líder do governo, deputado Moisés Diniz (PCdoB), grafou uma frase emblemática sobre o assunto: “a margem do diálogo tem sido grande, mas a margem de conquistas é pequena”.

Fura greve
Vários oradores de ontem na manifestação dos professores do Sinplac, em frente a Aleac, acusavam o presidente do Sinteac, Manuel Lima, de “fura greve” pela sua total apatia.

Querem o quê?
Não sejam ingênuos, senhores: Manuel Lima é candidato a deputado estadual pelo PT.

Pau violento
Para variar, ontem, a oposição deitou e rolou na Assembléia Legislativa, sem que as acusações contra o governo fossem rebatidas à altura, mesmo a base da FPA sendo majoritária na Casa.

E fica nisso
Fora o deputado Moisés Diniz (PCdoB), o deputado Thaumaturgo Lima (PT) e raramente o deputado Ney Amorim (PT), ninguém bota a cara a tapa nos debates com a oposição.

Pelo amor de deus?
O deputado Delorgem Campos (PSB) fez ontem um discurso infeliz na Aleac: debitou parte do aumento da violência ao fato da sociedade não denunciar pelo telefone os bandidos à polícia.

Resposta travada
Indagado pelo deputado Walter Prado (PDT) se tinha o apoio da prefeita Leila Galvão e do marido Nelson Moreira, Delorgem foi irônico: “eu não, não deixam nem meu irmão assumir”.

Clima pesado
O clima entre Delorgem Campos (PSB) e a prefeita Leila Galvão (PT) é dos piores, mas isso não será capaz de evitar, segundo quem mora em Brasiléia que, ele seja o mais votado do município.

 Qual o crime?
É inócua a crítica ao senador Tião Viana (PT) por ter visitado a China, até porque bancou as despesas com recursos próprios: caberiam os ataques se fosse custeado pelo governo.

Não vai reverter
Este tipo de ataque pessoal não vai reverter a desvantagem dos candidatos da oposição nas pesquisas realizadas até o momento frente à candidatura de Tião Viana (PT).

Suprapartidários
O presidente do TRE, Arquilau Melo, deve seguir o modelo do referendo do desarmamento no caso do fuso horário do Acre, não partidarizando, com a criação de comitês suprapartidários.

Debate na televisão
Neste contexto os comitês poderão defender a manutenção do atual horário ou o retorno do fuso antigo. Mas, isso não impede que os políticos se manifestem no tempo gratuito do TRE.

Dois pontos
O governo está proibido pela legislação eleitoral de dar aumento para os professores, mas nada impede que reponha as perdas salariais, que são anteriores ao período proibitivo.

Até que enfim
O Incra vai começar a retirar os brasileiros que moram na Bolívia. Nada contra os bolivianos: seguem sua Constituição que proíbe presença de estrangeiros em terras na faixa de fronteira.
                       
Voto vencido
O deputado Elson Santiago (PP) diz, que mesmo sendo voto vencido no partido, vai insistir que o PP entre num chapão com PT e PDT. Aliás, Santiago é o único que quer esta aliança.

Erro político
O deputado Thaumaturgo Lima (PT) considera um erro os partidos nanicos lançarem uma chapa para a Câmara Federal, porque acha que não elegem ninguém e desperdiçarão votos.

Bagunça geral
Acrelândia está uma bagunça geral. Hoje, completam quarenta e três dias que os professores estão em greve e o ano letivo não começou, por conta do desastrado prefeito Carlinhos (PSB).

Previsão de deputados
Numa roda ontem na Aleac de deputados, a previsão que se fazia era que o deputado federal Gladson Cameli (PP), nesta eleição, vai disputar cabeça por cabeça com a deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) a posição de mais votado para a Câmara Federal. Os deputados federais Fernando Melo (PT) e Henrique Afonso (PV) – se ele for candidato – também foram citados como volta certa. Houve unanimidade que Thaumaturgo Lima (PT) se elege tranqüilo.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation