Política local 23/04/2010

“A base do governo ao que parece engrossou os diversos movimentos grevistas”.

Deputada Idalina Onofre (PPS) sobre a ausência ontem, na Aleac, de deputados da FPA.

Como o diabo gosta
Égreve para todos os gostos. É greve dos professores, dos servidores da administração direta, uma prevista para hoje dos agentes penitenciários, e a mais nova a caminho: o Sindicato dos Bancários discute fazer uma paralisação de advertência no Banco do Brasil, por conta do “clima de terror”, imposto aos funcionários pelo novo superintendente Edvaldo Sebastião.

Clima pesado l
A presidente dos bancários, Elmira, diz que o clima está insustentável, por Sebastião ter dito nas reu-niões que no Acre, os servidores do BB são “fraquinhos”, por isso não alcançam metas.

Entrada triunfal
Depois de anos na oposição, o ex-deputado Tarcísio Pinheiro (PSDC) faz sua entrada triunfal amanhã, na FPA, no “Caladium”, oferecendo um café da manhã aos irmãos Jorge e Tião Viana.

Vaga na Aleac
Tarcísio vai disputar este ano uma vaga de deputado estadual pela coligação dos nanicos.

Não repetir o erro
O presidente da CPI, deputado Luiz Tchê (PDT), está sendo induzido a um erro nesta acusação de pedofilia em Plácido de Castro, repetindo o triste equívoco do “caso Mauro Modesto”.

Sabe discernir
Há que saber separar bem o que é crime de pedofilia e o que é briga de família.

Não elege ninguém
Em Brasiléia, com mais de dez candidatos, ninguém sairá eleito deputado estadual daquele município. Se algum conseguir alcançar mil votos mande rezar dez missas de ação de graça.

Versão registrada
O candidato a deputado federal Idésio Frank (PT) manda e-mail tecendo uma série de elogios ao presidente do PT, Leonardo Brito, também candidato, negando estar agastado com ele.

Há controvérsias
Meu caro Idésio Frank, há controvérsias: pelo menos em razão do que ouvi de algumas cabeças coroadas do PT a esse respeito. Mas, se diz que não é isso, tudo bem.

Puxão de orelha
O governador Binho Marques deveria dar um puxão de orelha em quem fez o institu-cional que roda na televisão e mostra a BR-364, no trecho Tarauacá-Cruzeiro do Sul, um tapete de asfalto.

Não é isso
Nos 100 kms do trecho Liberdade-Cruzeiro do Sul é um buraco atrás do outro. O mesmo ocorre nos 30 kms próximos a Taraua-cá. Em ambos, se trafega com muita dificuldade.

Obras portentosas
A FPA, se não terá a BR-364 como bandeira política em Cruzeiro do Sul, tem duas obras importantes para inaugurar e tirar dividendos: a ponte sobre o Rio Juruá e o estádio de futebol.

Sinal claro
O prefeito de Cruzeiro do Sul, Wagner Sales (PMDB), deu um sinal claro que lançará o filho Fagner Sales (PMDB) candidato a deputado federal, ou este não teria se desincompatibilizado.

Legenda garantida
Com a candidatura de Fagner, o PMDB fica com legenda para eleger um deputado federal. Quem apostou que Flaviano Melo iria “pelo beiço” para a coligação do PSDB, perdeu feio.

 Explicação plausível
O noticiário diário registra a apreensão de grandes quantidades de drogas em Cruzeiro do Sul, o município onde se concentra o maior número de milionários do Acre por metro quadrado.

Calcule o que passou?
Pelo volume apreendido, calculem o que já passou de droga em sacos de farinha exportados, quando a Polícia Federal não tinha uma presença mais efetiva na área?

Me engana
O vice-prefeito cassado de Sena Madureira, Jairo Cassiano (PDT), tem experiência suficiente para saber que disputar uma vaga de deputado federal na chapa da FPA é para fazer número.

Muito simples
Basta dar uma olhada nos adversários para se avaliar que a sua chance é quase zero.

O que mostrar
A vantagem da candidatura do senador Tião Viana (PT) ao governo é que tem o que mostrar na campanha o quanto foi produtivo em todas as áreas para o Acre o seu mandato.

Mesmo mote
E assim o ex-governador Jorge Viana (PT), candidato ao Senado, em relação às obras do seu governo. Sem falar no carisma pessoal dele e do irmão em meio ao eleitorado.

Ganha um doce
Perguntei ontem a um membro do PMDB se o senador Geraldo Mesquita seria candidato à reeleição. Resposta: “ganha um doce no PMDB quem souber, ele não fala, é esquisito!”

Problema de gestão
O governo dotou a Maternidade “Bárbara Helidora” do que há de melhor em instalações e  mate-rial hospitalar. Se há reclamações no atendimento, a culpa é do gestor da unidade.

Dá-lhe o bordão
Perfeito o ditado: “quer conhecer o vilão? Dá-lhe o bordão”. O vereador Cabide (PTC), que era um moço humilde antes de eleito, mudou: pediu a cabeça de um funcionário da Câmara Municipal de nome “Quico”, sob alegação de não ser rápido em colocar o banco na tribuna, que usa para alcançar o microfone, onde faz discursos sem pé e nem cabeça. Não culpo o Cabide, mas quem o colocou no mandato sabendo que não teria condições de bem exercê-lo.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation