Adriano vence duelo com Ronaldo e deixa Fla em vantagem na luta pela vaga

Um dia depois da divulgação de uma pesquisa que apontava empate técnico no número de torcedores de Flamengo e Corinthians, a nação rubro-negra teve motivos para comemorar nesta quarta-feira. No duelo entre Adriano e Ronaldo, o Imperador levou a melhor e fez o gol que assegurou a vitória do Fla por 1 a 0 no duelo de ida entre os clubes mais populares do país pelas oitavas de final da Taça Libertadores.  

fla_BANNER

Com o pênalti convertido pelo seu astro no Maracanã, o atual campeão brasileiro vai a São Paulo, na próxima quarta-feira, com a vantagem de poder se classificar com um empate. Ou até com derrota por um gol de diferença, desde que balance a rede no Pacaembu. O Corinthians precisa vencer por dois gols. Um triunfo do atual campeão da Copa do Brasil por 1 a 0 leva a decisão da vaga para os pênaltis. Quem sobreviver vai encarar o ganhador do duelo entre Universidad de Chile e Alianza Lima, que se enfrentam pela primeira vez nesta quinta-feira.

Chuva atrapalha no primeiro tempo

O efeito da forte chuva que atingiu o Maracanã a partir das 20h30m ficou evidente logo após o pontapé inicial. A bola recuada depois da saída dada pelo Corinthians parou em uma poça d’água, indicando a dificuldade que os jogadores encontrariam. Chutões, faltas e uma áspera discussão entre Juan e Dentinho marcaram os primeiros cinco minutos de partida.

O Corinthians se adaptou mais rapidamente ao piso escorregadio. Vaiado a cada vez que tocava na bola pela torcida do Flamengo na primeira vez em que enfrentou o Rubro-Negro no Maracanã, Ronaldo encontrou espaço pela esquerda aos cinco minutos e atrasou para Jucilei, que tentou arrematar da entrada da área. Mas foi barrado pela defesa do Fla. No minuto seguinte, Roberto Carlos cobrou falta sobre a área, e Willians colocou, de cabeça, para escanteio, afastando o perigo.

Adriano só apareceu aos dez minutos, com um cruzamento da esquerda, facilmente defendido pelo goleiro Julio Cesar. Pelo lado canhoto, o Flamengo animou a torcida no minuto seguinte. Juan passou a bola por baixo das pernas de Ralf e centrou. A defesa corintiana se atrapalhou com as poças, e a pelota sobrou para Léo Moura chutar cruzado, para fora.

Diante do estado do gramado, as bolas alçadas na área se tornaram uma das melhores opções para os dois lados. Aos 14, Michael cobrou falta quase do meio-campo e encontrou Vagner Love na área. O camisa 9 rubro-negro cabeceou, e Julio Cesar defendeu. No lance anterior, Ronaldo, sempre acompanhado de perto por Rômulo, tentou arrancar e caiu na área, reclamando de pênalti. O árbitro Carlos Amarilla nada marcou.

Além da chuva e do campo, Roberto Carlos enfrentou um adversário extra aos 25 minutos. Ao tentar cobrar um lateral, foi atrapalhado por um laser lançado por um torcedor rubro-negro na arquibancada. O juiz paralisou o jogo por aproximadamente um minuto, e o goleiro Bruno fez sinais, pedindo para que a atitude não fosse repetida.

Se aos 14, Ronaldo reclamou de falta, aos 28 foi a vez de Adriano protestar, alegando que foi empurrado na entrada da área. O juiz também nada apontou. O gramado dificultou ainda mais a movimentação dos dois atacantes na primeira etapa. Nenhum dos titulares da seleção brasileira na Copa de 2006 conseguiu dar um conclusão sequer a gol no primeiro tempo.

A partir dos 30 minutos, a chuva diminuiu. E o Flamengo teve boa chance aos 31. Vagner Love acionou Juan pela esquerda, que cruzou para Léo Moura, que se esticou, mas não alcançou. Aos 34, nova investida rubro-negra. Adriano ajeitou para Maldonado, que lançou Love. O artilheiro do Fla no ano invadiu área, mas Chicão foi preciso, desarmando o atacante no momento em que este se preparava para arrematar.

A ascensão rubro-negra ficou abalada dois minutos depois. Maicon, que já tinha amarelo por falta em Elias, deu uma entrada imprudente em Dentinho a poucos metros do juiz. E recebeu o vermelho.

Sem um dos responsáveis por armar as jogadas do time, o Fla perdeu espaço no meio-campo, e o Corinthians teve mais posse de bola nos cinco minutos finais da etapa inicial. Aos 42, Roberto Carlos acionou Danilo pela esquerda. O meia cruzou para Elias, que não alcançou.

De pênalti, Adriano decide na etapa final

No segundo tempo, sem chuva e com o gramado em melhores condições, as equipes passaram a conseguir jogar mais pelo chão. Se não chutou uma bola a gol no primeiro tempo, Adriano arriscou de longe logo com dois minutos da etapa final. Julio Cesar defendeu.

Mas foi o time visitante que levou grande perigo. Aos cinco minutos, Moacir tocou para Dentinho na direita, e recebeu na pequena área. O lateral completou diante de Bruno, que conseguiu desviar com o pé esquerdo, salvando o Flamengo. A bola passou rente ao ângulo esquerdo. Apesar da intervenção do goleiro, o árbitro marcou tiro de meta.

A melhora do campo não impediu a equipe da casa de continuar errando muitos passes. Com dez minutos, diante da falta de poder ofensivo do Fla, torcedores rubro-negros começaram a pedir a entrada de Petkovic.

E por pouco, os rubro-negros não comemoraram aos 15 minutos. Juan cobrou falta sobre a área. A bola quicou e tocou no travessão, diante de um Julio Cesar assustado, com os braços recolhidos. No rebote, Adriano completou de voleio, à direita da meta. Do outro lado, Ronaldo não conseguia acertar. Aos 18, o Fenômeno não conseguiu dominar um cruzamento da direita, dando uma verdadeira canelada.

Se vibrou com o erro do desafeto, a torcida do Fla comemorou para valer em seguida. Aos 19, Juan invadiu a área pela esquerda. Moacir chegou atrasado e derrubou o lateral. Pênalti. Adriano cobrou bem, no canto direito, longe do alcance do goleiro Julio Cesar. O atacante partiu para comemorar, mas interrompeu a corrida no meio, olhando com cara feia para a arquibancada. A recíproca não foi igual. Os gritos de “O Imperador voltou” ecoaram no estádio.

O gol acendeu a torcida do Fla. E alertou o treinador Mano Menezes, que fez duas alterações no Timão: Jorge Henrique e Iarley entraram nas vagas de Danilo e Dentinho, respectivamente.

O Corinthians avançou, passou a cercar a área do adversário, mas teve dificuldades para superar o bloqueio rubro-negro. E foi o Fla que teve uma excelente oportunidade. Aos 32, Willians fez boa jogada e lançou Adriano na área. O atacante cabeceou com estilo, e Julio Cesar fez grande defesa, espalmando para o travessão. No rebote, Roberto Carlos afastou.

Apesar da clara dificuldade de dominar a bola, Ronaldo criou uma boa chance aos 37 minutos. O atacante arrancou pela esquerda e cruzou. Iarley subiu na frente de Jorge Henrique, não conseguiu alcançar e ainda atrapalhou o companheiro, que vinha de frente para a meta.

Foi a última jogada de Ronaldo, que deixou o gramado vaiado para a entrada de Souza. O maior artilheiro da história das Copas do Mundo segue em branco no mais tradicional estádio brasileiro: nenhum gol em quatro jogos no Maracanã.

No desespero, o Corinthians ainda tentou empatar. Mas se limitou a um chute de longe de Jorge Henrique aos 41.

O Flamengo conseguiu manter a vantagem, para a festa da maior torcida do Brasil. (Globo Esporte)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation