Semsa acha 9 insetos da doença de Chagas em Rio Branco

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) encontrou nesta semana, em palheiras nas proximidades da vila militar Pedro Rozeno, atrás da Fundhacre, 14 suspeitos de ser uma das espécies de barbeiros transmissores da doença de Chagas. Dos 14 insetos recolhidos, 9 foram confirmados como vetores e 5 foram descartadas (tipos semelhantes ou predadores, inofensivos à saúde humana). Tal constatação foi dada depois que eles foram coletados e analisados pelo setor de Entomologia do Estado.
Barbeiro
Apesar da descoberta, até agora nenhum caso ou suspeita da doença foi registrado nas unidades de Saúde locais. Contudo, ante a presença do vetor, é possível que algum morador ainda possa vir a manifestar os sintomas do chaguismo. Assim, os residentes da vila estão assustados com os insetos. Medo também compartilhado por pacientes e funcionários da Fundação hospitalar, que temem que os bichos estendam o seu território.     

Diante da confirmação dos barbeiros, a Semsa, em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) e outras entidades do Governo e prefeitura, estará realizando vá-rias ações contra infestação do inseto. Conforme Adriana Evangelista, secretária interina da Semsa, será feito um trabalho maior de limpeza e higienização das áreas de ocorrências e suspeitas, prevenção contra o vetor, operações de coleta dos barbeiros e estudos para investigar o local exato dos que já foram encontrados (em casas, quintais, jardins, etc).

Segundo a secretária, é muito importante que a população informe à secretaria caso ache algum inseto semelhante ao barbeiro (corpo oval, não muito grande, geralmente pardo e achatado, parecido com besouro). “Eles geralmente escondem-se em palheiras, vãos de barro e parede, lixos, madeiras e entulhos de obras. Por isso, a população deve cuidar da sua casa e ficar bem atenta para, quando aparecer algum, nos informar logo”, completa ela.

Além da vila Pedro Rozeno, outros locais que já registraram ocorrências de suspeitas foram o Custódio Freire, Calafate, Loteamento Joafra, BR-364, Santa Helena, Taquari e Universitário. Nos quatro últimos, inclusive, foi confirmada a presença de barbeiros.

Sobre a doença – O mal de Chagas é uma infecção com danos letais a saúde do portador, causada pelo protozoário Trypanosoma Cruzi. No Brasil, ela é transmitida por mais de 30 espécies de barbeiros, encontrados especialmente na região amazônica, em casebres, vãos de palheiras e ambientes com barro espalhado. A doença possui 2 fases principais. Na aguda (estágio inicial, assintomática), sob o tratamento adequado ela é curável ou as suas chances de progredir podem ser reduzidas em até 80%.

Se avançar para a fase crônica (parasita se reproduz sem ter resistência), a doença pode ser mortal, incurável e com vários efeitos colaterais irreversíveis ao organismo humano (sem medicamento eficaz para conter o protozoário). Portanto, é importante identificar e tratar a doença com o máximo de urgência possível. Seus sintomas são: local da picada na pele inchado e vermelho (chagoma), febre, anorexia e alterações no fígado e coração.  

Assuntos desta notícia

Join the Conversation