Acusado de assassinar universitário é preso

Através de uma denúncia anônima, investigadores do Grupo Especial de Capturas da Polícia Civil  (Gecapc) prenderam na manhã de ontem, 20, Jamim Aquino de Oliveira, 25 anos, funcionário de uma empresa que presta serviço para o Saerb. Ele é acusado de ter matado na manhã de domingo, 18, o universitário do curso de Fisioterapia, André Lemos Duarte, 19 anos. O rapaz foi morto com várias facadas e chegou a ser socorrido por uma equipe de paramédicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas morreu no Pronto-Socorro horas depois, quando era submetido a uma cirurgia de emergência.Acusado21
Jamim Aquino foi preso em seu local de serviço, no bairro Calafate. Ao ser levado à delegacia, ele confessou a autoria do crime, mas alegou que não tentou assaltar o universitário.

Segundo a versão do acusado, ele estava passando na Rua Isaura Parente, bairro Estação Experimental, quando avistou o estudante e alguns amigos que tentavam trocar o pneu de um veículo.

“Não teve assalto nenhum e nem ofereci droga para ele. Eu estava passando na Rua Isaura Parente quando vi que o rapaz tinha dificuldade para trocar o pneu do carro. Ele estava embriagado e eu ofereci ajuda, foi quando sem qualquer motivo o rapaz passou a falar mal de mim, a me agredir verbalmente e partiu pra cima. Os amigos dele ainda tentaram segurá-lo, mas ele conseguiu dar um soco na minha boca. Me senti humilhado e revoltado. Como minha casa fica perto, fui lá e peguei uma faca. Quando retornei dei uns golpes nele, não lembro quantos, mas estou muito arrependido”, confessou Jamim. 

Três versões para o crime 
Pelo menos três versões para o crime chegou ao conhecimento da Polícia Civil. A primeira dava conta que o estudante André Lemos estava na companhia de um amigo trafegando na Rua Isaura Parente, bairro Estação Experimental, proximidades do Sesi Saúde, quando o pneu do carro furou e, ao descer para trocá-lo, um desconhecido se aproximou e anunciou o assalto. A vítima teria reagido quando foi golpeada várias vezes.

A segunda versão é  a de que o estudante estava na companhia do amigo na Rua Isaura Parente, quando se depararam com um homem que tentava trocar o pneu do carro. André saiu do veículo e ofereceu ajuda, o desconhecido estaria embriagado e passou a xingar o estudante, que teria revidado as agressões verbais e foi sur-preendido com o homem, que de posse de uma faca desferiu vários golpes no rapaz.

E a terceira versão, que foi confirmada pelo acusado, é a de que o pneu do carro do estudante furou e Jamim ofereceu ajuda e o estudante que estaria embriagado passou a xingá-lo e o agrediu com um soco. Jamim teria saído e minutos depois retornou armado com uma faca e desferiu vários golpes em André, que não resistiu à gravidade dos ferimentos e morreu quando era submetido a uma cirurgia de emergência no Pronto-Socorro.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation