Após matar mulher, braçal ameaça assassinar enteados

A família da dona-de-casa Maria Claudia Rodrigues de Oliveira, 31 anos, brutalmente assassinada a golpes de terçado na última quarta-feira, 21, denunciou que o autor do crime, o braçal Eduilson dos Santos, 37 anos, teria assassinado a mulher na frente dos três filhos  de 13, 8 e 1 ano de idade. Depois de se apresentar na delegacia do município de Porto Acre e prestar depoimento ele foi liberado e agora ameaça matar as crianças que foram testemunhas do crime.
Filhos-da-vitima
O homicídio aconteceu na madrugada de quarta-feira, 21, dentro da residência do casal, na Vila Caquetá, km 72 da estrada de Porto Acre.
Segundo informações da dona-de-casa Raimunda Rodrigues Bento, 51 anos, mãe da vítima, a filha vivia com Eduilson há oito anos. Quando foi viver na companhia dele, Maria Claudia já tinha dois filhos, uma menina que à época tinha quatro anos e um menino que ainda não tinha completado um ano de idade.

Do relacionamento do casal, nasceu outra criança, que tem um ano de idade. Na madrugada do crime, Eduilson chegou em casa embriagado e começou a discutir com a mulher.

As crianças acordaram e viram quando o padrasto começou a espancar a mãe. Em determinado momento, ele saiu do quarto e foi até a cozinha da pequena casa, oportunidade em que a filha de 13 anos viu o padrasto se armando de terçado.

A adolescente correu para o quarto onde estava a mãe e os dois irmãos e tentou fechar a porta avisando à mãe que o padrasto estava armado de terçado.

As três crianças e a mãe tentavam fechar a porta quando Eduilson conseguiu decepar a mão da mulher com um golpe de terçado e assim entrar no quarto.

As crianças tentaram sair do quarto mas foram impedidas por Eduilson, que na frente dos filhos da vítima desferiu vários golpes.

A menina de 13 anos e o irmão de 8 contam que a mãe mesmo ferida ainda colocou o filho de um ano no colo, tentando evitar que o marido continuasse a goleá-la. Mesmo assim, ele teria acertado um golpe na cabeça da mulher que caiu sobre o filho caçula.

“Teve uma hora que ele pegou meu irmão de oito anos e encostou o terçado no pescoço dele e disse que ia matar todo mundo. A mamãe estava sufocada pelo sangue aí eu consegui fugir e correr até a casa do vizinho”, contou a adolescente.

Após ser liberado para responder processo em liberdade, o acusado passou a ameaçar os filhos de morte, tendo como alvo principal a adolescente de 13 e o irmão de 8 anos, que sabem falar e podem testemunhar contra o padrasto.

Segundo informações da mãe e uma tia da vítima, elas procuraram a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), onde contaram sobre as ameaças, mas foram informadas que teriam que ir à delegacia de Porto Acre, onde o caso está sendo apurado.

“Já tentei pedir ajuda a todo mundo, mas a polícia diz que tenho que ir até Porto Acre. Acontece que o criminoso está aqui em Rio Branco, na frente de minha casa, onde mora os parentes dele e já avisou que vai matar meus netos”, afirmou Maria Raimunda.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation