Homem é barbaramente assassinado a tiros e facadas em Plácido de Castro

Vítima foi alvejada a tiros e golpeadas várias vezes enquanto dormia na companhia da namorada

Mais um crime bárbaro foi registrado na madrugada desta terça-feira, 13, no município de Plácido de Castro, distante cerca de 100 km de Rio Branco.

brutal

O desempregado Ray Silva Lessa, 19 anos, foi morto a tiros e aproximadamente 15 golpes de faca espalhados por todo o corpo.

Segundo o que o delegado Pedro Bezolin, da Delegacia Central daquela cidade, conseguiu apurar, a vítima pediu abrigo na casa de um amigo conhecido pelo apelido de “De”, que reside no bairro Rapirã, alegando que estava sendo ameaçado de morte.

Ray e a namorada estavam dormindo na sala da residência, enquanto o proprietário da casa dormia no quarto.

Nesta última madrugada dois homens armados bateram na porta informando que era a polícia.

O proprietário da residência abriu a porta quando dois homens armados passaram por ele e começaram a atirar contra a vítima que estava dormindo em um colchão instalado na sala.

A namorada da vítima e amigo de Ray e sua esposa saíram da casa correndo tentando escapar da morte e pedir ajuda a polícia.

Enquanto isso os dois desconhecidos continuaram dentro da residência atirando na vítima e outro homem armado de faca desferiu vários golpes.

Mesmo ferida, a vítima ainda tentou fugir correndo para o fundo do quintal da residência, mas foi seguido e após cair ainda foi golpeado outras vezes. Os assassinos fugiram por um matagal existente nos fundos da residência.

Segundo levantamento realizado pelo delegado Pedro Bezolin, Ray Lessa tinha passagem pela polícia por crimes de furto e roubo e tinha envolvimento com o tráfico de drogas.

O delegado informou que ainda não tem pistas de quem são os criminosos e nem a motivação para o crime.

“Estamos investigando e ouvindo depoimentos de testemunhas, é muito prematuro afirmar que o crime tenha sido motivado pelo tráfico de drogas. Fomos informados que a vítima era dependente químico, mas mesmo assim temos que ter provas e os depoimentos das testemunhas é que vai nos auxiliar nas investigações” afirmou a autoridade policial.

brutal_2 brutal_3

brutal_4

Assuntos desta notícia

Join the Conversation