Gladson traz chefe de gabinete do Ministério das Cidades

O deputado Gladson Cameli (PP) chega hoje a Rio Branco juntamente com Fábio Machado, chefe de gabinete e assessor direto do ministro das Cidades, Márcio Fortes. O ministro é  correligionário do deputado acreano no PP e um dos seus principais aliados na liberação de verbas em Brasília. Gladson deve participar com Fábio Machado da Conferência Estadual das Cidades na Capital acreana,onde será exposto o Programa de Mobilidade do Ministério, que inclui obras de infra-estrutura e melhorias no trânsito. “Será uma oportunidade única para o Ministério mostrar o que pode e vai fazer pelo Estado”, disse o deputado.

O evento deve escolher ainda os delegados acreanos que vão participar em seguida da Conferência Nacional das Cidades a ser realizada em Brasília. A idéia, no Acre, é reunir representantes dos municípios e a população em geral para apresentar os programas e projetos que o Ministério das Cidades tem especificamente para o Estado. O Programa de Mobilidade é um dos carros-chefe do Ministério das Cidades já que é voltado, sobretudo para obras de cunho social, como saneamento, construção de calçadas e praças públicas. Para o deputado, é um programa que vem ao encontro das necessidades e expectativas dos municípios acreanos, “que precisam deste tipo de obra”.

Segundo o deputado, a Conferência Estadual no Acre terá quatro eixos temáticos. O primeiro trata da criação e implementação de conselhos de cidade, planos e fundos. O segundo tratará da aplicação do Estatuto da Cidade e dos planos diretores e a efetivação da função social da propriedade. O terceiro se refere à integração da política urbana, fundiária, mobilidade, habitação e saneamento. O quarto e último aborda a relação entre os programas de Governo como o PAC e o Minha Casa, Minha Vida e a política de desenvolvimento urbano.

Por fim, Gladson chamou a atenção ainda dos prefeitos sobre a importância de convocação da conferência para os habitantes do município. Ele alertou os gestores que a não realização da Conferência pode implicar na falta de repasse de recursos federais às prefeituras para o desenvolvimento das políticas urbanas, “o que pode ser trágico para qualquer administração”. O deputado conseguiu este final de ano junto ao Ministério das Cidades R$ 2 milhões para Cruzeiro do Sul e R$ 1 milhão para Sena Madureira, recursos a serem utilizados em obras de infra-estrutura. “Foram recursos de grande valia para ambos os municípios”.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation