Iluminou geral!

A pressão popular e parlamentar na questão da distribuição de energia no Acre já começa a surtir efeito. Pelo menos no papel.

Apesar do enorme desrespeito por parte dos representantes da Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica – que não compareceram a uma das mais importantes reuniões dos últimos tempos, o que vi e ouvi junto com o secretário de energia elétrica do Ministério das Minas e Energia – MME, Josias Matos Araújo e vários outros representantes da Eletronorte e ONS – Operador Nacional do Sistema Elétrico de Fornecimento, na última quarta, em Brasília, foi fantástico.

  Representantes da Eletroacre/Ele-trobrás fizeram uma apresentação e expuseram um plano de expansão de milhões de reais! Uma coisa realmente impressionante. E, se for preciso, disseram que irão recorrer até ao Banco Mundial para conseguirem os recursos necessá-rios para melhorar a distribuição de energia no Acre.

O fato é que dinheiro tem. Tem muito! Tanto que a Eletroacre/Eletrobrás iriam investir cerca de 1 milhão e 700 mil até outubro de 2010 mas já investiram mais de 2 milhões até março! Obviamente que os acreanos ainda não sentiram o impacto desse investimento.

O que ficou provado na reunião é que energia para o Estado do Acre tem e tem acima do que é consumido. O que não tem é uma distribuição efi-ciente dessa energia. A Plena, consórcio de 12 empresas de transmissão, responsável pelo Linhão, mostrou que as interrupções constantes, as oscilações, as quedas de fases e o vai e vem da energia é responsabilidade da Eletroacre/Eletrobrás que há anos não investia em substituições de velhos equipamentos e nem na aquisição de novos equipamentos para a construção de subes-tações de distribuição.

O que aconteceu foi que a empresa não teve visão e ação necessária para acompanhar o crescimento das cidades, das unidades consumidoras. A Eletro-acre/Eletrobrás até agora não havia investido na preparação de pessoas para trabalhar. Mas agora, depois de tanta pressão, a empresa e seus dirigentes, acordaram e reconheceram que a Eletroacre/Eletrobrás não estavam agindo com o devido respeito aos seus clientes.

José Luís, diretor da Eletrobrás, pediu desculpas pelos péssimos serviços prestados à nossa população. Isso é uma luz no fim do túnel. No meu entendimento o pedido de desculpas é um reconhecimento de que a empresa não dava a mínima importância para o Estado do Acre. Isso mudou.

A pressão popular e da bancada federal acreana foi fundamental para reverter essa situação. Os investimentos virão, mas sabemos que as mudanças não acontecerão da noite para o dia porque os equipamentos necessários demoram para serem fabricados. O importante é que agora eles acordaram e vão trabalhar.

   Outra coisa importante, a ser colocada, é a disposição da bancada federal acreana em negociar com a Secretaria da Fazenda estadual para modificar a cobrança do ICMS nas faturas de energia. O povo não agüenta mais “a cobrança por dentro” que eleva o valor de suas contas e, como bem disse o representante da Eletrobrás, nesse caso, a empresa é apenas um grande cobrador de impostos para o governo.
Bem melhor assim. Que tudo fique às claras.

Eliane Sinhasique
Jornalista/Radialista/Publicitária – [email protected]

Assuntos desta notícia

Join the Conversation