Emprego temporário: o que fazer para se tornar efetivo?

O trabalho temporário consiste no serviço que a pessoa física pode prestar a uma determinada empresa, para atender necessidade transitória de substituição de pessoal, regular e permanente, ou motivado pelo acréscimo extraordinário de serviços.

A melhor época para esse tipo de emprego (temporário) é no período em que acontecerá um grande evento e/ou acontecimento a exemplo da Páscoa, festas juninas, feiras agro-pecuárias, festas de final de ano e o Carnaval, ou seja, em locais e épocas onde se prevê que as vendas irão aumentar.
Os especialistas da área sugerem que nos Estados Unidos o emprego temporário é uma atividade muito comum entre os jovens de todas as camadas sociais, principalmente universitários recém-formados que sonham com a independência financeira imediata.

No Brasil, mais de 60 mil empregos temporários são criados todos os anos. Assim, fazer um bico aqui, outro ali faz parte da vida das pessoas que não conseguem espaço no concorrido mercado de trabalho.

Autores afirmam que o emprego temporário pode funcionar como um experimento, uma vez que se a pessoa se dedicar e se sair bem em sua função, poderá se efetivar no cargo que ocupa. Contudo, para que essa efetivação aconteça, vale lembrar que as empresas geralmente ava-liam os candidatos considerando, principalmente os seguintes aspectos: currículo, apresentação pessoal e comportamento.

CURRÍCULO
Currículo é uma síntese de qualificações e aptidões, na qual o candidato a alguma vaga de emprego descreve as experiências profissionais, formação acadêmica, e dados pessoais para contato.

A apresentação do currículo para a seleção é imprescindível e nele deve conter os seguintes itens: foto, dados pessoais como nome completo, data de nascimento, CPF, RG, reservista (para homens), estado civil, filhos, escolaridade, cursos, experiência profissional, carta de recomendação (se exigido), endereço completo, e-mail e telefone para contato.

Dependendo do contexto o formato do currículo pode variar. Um dos formatos é o portfólio, que em linhas gerais tem o mesmo objetivo, mas serve para dar pequenas mostras das habilidades da pessoa, sendo mais utilizado por profissionais das áreas relacionadas com artes ou produção.

APRESENTAÇÃO PESSOAL
A aparência é mais uma ferramenta no dia-a-dia profissional, e para usá-la a seu favor, vale lembrar algumas dicas básicas indicadas por Rosa (2010) para vestir bem:

Tamanho adequado – Tente sempre utilizar roupas com o corte certo para você. A barriga forçando o botão da camisa ou a roupa muito justa causa impressão pior do que as roupas um pouco mais largas.

Discrição – Apresente-se vestido com cuidado e discrição, evitando acessórios como boné e roupas de time. Dê preferência para os tons de roupas mais discretos e sem decotes. Evite também, perfumes de fragrâncias fortes e maquiagens em excesso.

Para os homens é recomendável usar cabelos cortados, barbas bem feitas, unhas curtas e limpas. Para as mulheres usar esmaltes discretos, evitar cabelos com tons de vermelho, cortes moicanos, além dos pirceng e tatuagens visíveis.

Asseio – Tome muito cuidado com suas roupas, mantendo-as sempre limpas e bem passadas, para refletir uma imagem mais profissional.
Postura e Moda – Observe políticos, empresários e outros profissionais bem assessorados e use-os como modelos. Gravatas fora de moda ou um jeito meio relaxado de sentar contam contra você.

COMPORTAMENTO
Neste item, deve o empregado temporário expressar-se bem, procurar informações a respeito da empresa e demonstrar interesse por ela. Deve ainda, no momento da entrevista, responder as perguntas com entusiasmo e, principalmente demonstrar o quanto será útil à empresa, caso seja escolhido para a vaga.

Outras recomendações indicadas pelos especialistas da área são: a) não faltar ou chegar atrasado ao trabalho, b) tratar o emprego temporário sempre como permanente e, c) ter iniciativa, força de vontade e mostrar interesse pelas tarefas. 

DIREITOS DO EMPREGADO
De acordo com a Lei 6.019/74 e Decreto 73.841/74, o empregado temporário tem os mesmos direitos do empregado efetivo quais sejam: jornada de trabalho de oito horas, adicional de trabalho noturno, hora extra, repouso semanal remunerado, férias proporcionais, décimo terceiro, proteção previdenciária e vale-transporte. Mas ele não fará jus ao aviso prévio e nem à multa do FGTS, por se tratar de contrato por prazo determinado.

IMPORTANTE
Após a seleção o candidato deve lembrar que existe o período de experiência e que dependendo do desempenho apresentado neste período, o mesmo pode não ser considerado apto para permanecer na empresa. Assim, para que isso não aconteça, esforce-se ao máximo, dê o melhor de si e boa sorte!

* Terezinha de Freitas Ferreira é doutora em Enfermagem pela Universidade de São Paulo – USP. Professora do Centro de Ciências da Saúde e do Desporto da Universidade Federal do Acre – Ufac. Acadêmica do Curso de Graduação em Direito da Faculdade da Amazônia Ocidental – Faao.

* Anabelle Freitas de Lima é especialista em Saúde Mental. Psicóloga da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation